Patrimônio e Investimento

Causas e Consequências do Fim do Dinheiro Vivo

Ícone de Relógio
5 min

Os grupos intervencionistas formados em 2008 no mercado internacional estão vivos. A política dos bancos de fixar taxas mínimas de juros começou devido à crise da dívida, e tem causado efeitos colaterais que apenas estão piorando a situação.

A repressão financeira está em voga e parece ser o novo brinquedo favorito dos políticos e discípulos de Keynes. Alguns economistas “especialistas”, como Paul Krugman, querem incentivar o investimento usando taxas de juros negativas, o que torna ainda mais difícil economizar.

É claro que isto tornou economizar uma opção ainda menos atraente em países desenvolvidos. Muitas pessoas perceberam que é melhor manter seu dinheiro debaixo do colchão, porque pelo menos lá ele não será expropriado, taxado ou desvalorizado para beneficiar os bancos e o estado.

Mas isso é algo que os defensores da repressão financeira não gostam, pois se você mantém seu dinheiro em casa, ele está fora do controle deles e, consequentemente, não podem cobrar juros negativos sobre o dinheiro.

Não é de admirar que, em vez de pagar juros para manter seu dinheiro no banco, muitas pessoas preferem mantê-lo em um cofre ou debaixo do colchão.

Os efeitos da proibição do dinheiro físico

E a partir de cada intervenção, surge outra: como já estão sendo aplicadas taxas de juros negativas na Europa, haverá uma proibição de dinheiro para apoiar isso. Assim que o dinheiro existir somente em contas bancárias e não fizer nada além de perder seu valor, ninguém vai querer economizar; a coisa mais inteligente a fazer será consumir e, é claro, pagar impostos indiretos a cada compra.

Naturalmente, outra vantagem para os políticos e outras “criaturas” que se alimentam diretamente da barriga do estado, é que, proibindo a moeda física, é mais fácil controlar seus movimentos, taxá-lo e até mesmo confiscar seu dinheiro em tempos difíceis.

Uma vez introduzida esta proibição, a espiral intervencionista provavelmente continuará, infectando ouro e metais preciosos e proibindo completamente as criptomoedas. Embora, felizmente, esta última coisa é algo que o estado não pode fazer efetivamente.

A única alternativa é deixar seu dinheiro fora do país em uma conta bancária offshore. O mesmo acontece com metais preciosos e outros bens; é melhor armazená-los em jurisdições onde estão sujeitos a um perigo ou risco mínimo de confisco. Por exemplo, é importante fugir de estados com altos níveis de endividamento, instabilidade financeira ou altos gastos públicos.

Uma das razões pelas quais a Settee foi criada, foi para ajudar poupadores e investidores a encontrar oportunidades e escapar de todos esses perigos financeiros. Portanto, se você ainda não se inscreveu no nosso newsletter, agora seria um bom momento para se inscrever e receber gratuitamente conteúdo para ajudá-lo com tudo isso.

Quem está por trás da proibição do dinheiro físico?

Você não acha que alguma vez experimentará uma proibição do dinheiro físico? Está no seu direito duvidar, se você for uma pessoa crítica (como deveria ser). Dito isto, se você assistiu às notícias recentemente e ouviu trechos do que os economistas e políticos têm a dizer, certamente você está um pouco confuso.

Paul Krugman não é o único intervencionista convencido de que não há provas suficientes da incapacidade do estado de criar medidas eficazes. O ex-secretário do Tesouro dos EUA, Larry Summers, também pediu uma conferência com o Fundo Monetário Internacional em uma clara tentativa de erradicar o dinheiro físico. De Kenneth Rogoff a William Buiter do Citigroup, todos tiveram o mesmo argumento.

A suposta “criminalidade” do dinheiro nada mais é do que uma desculpa para esconder suas verdadeiras intenções. Sem dúvida, a proibição do dinheiro físico atingiria duramente o mercado negro e a economia das drogas.

Mais economistas que defendem a proibição do dinheiro em espécie

Isto é afirmado na conhecida revista alemã Spiegel, outra defensora da proibição. Nela, o economista alemão Peter Bofinger afirma que o dinheiro em espécie deixará de existir em breve, e com ele não haverá nada que impeça a introdução de taxas de juros negativas.

Kenneth Rogoff esclarece que:

“A moeda física é o principal obstáculo que impede o Banco Central de baixar as taxas de juros. Livrar-nos disto seria uma solução simples e elegante para o problema”.

Fora da possibilidade de o Banco Central baixar as taxas de juros até que elas se tornem negativas (e assim tirar dinheiro dos poupadores que têm dinheiro nos bancos), os bancos também terão resolvido outro grande problema: a questão dos depósitos compulsórios.

Legalmente, há uma quantidade mínima de dinheiro que os bancos têm que ter como reservas líquidas. Entretanto, se ninguém puder retirar dinheiro, o perigo de que todos os clientes do banco (ou uma grande quantidade deles) decidam retirar seu dinheiro ao mesmo tempo desapareceria.

Como você pode ver, a proibição de dinheiro em espécie teria muitas vantagens, tanto para os bancos quanto para os políticos que dependem deles para manter suas políticas imprudentes e grandiosas.

Os primeiros passos para a proibição do dinheiro físico

Caso ainda não esteja claro o que os políticos e economistas vão colocar em prática, dê uma olhada nos passos que já deram nessa direção na Europa.

  • França: redução do pagamento máximo em dinheiro de 3.000€ para 1.000€. Ao comprar ouro, as autoridades devem ser notificadas, e quando este for transportado dentro do país, deve ser feito com aviso prévio às autoridades alfandegárias.
  • Grécia: o limite de pagamento em dinheiro é fixado em 500€.
  • Espanha: o limite atual de pagamento em dinheiro é de 2.500€, mas o fisco está tentando reduzir isso para 1.000€, e certos partidos eleitorais estão falando de uma erradicação do dinheiro em espécie.
  • Dinamarca: há projetos para erradicar totalmente o dinheiro físico.
  • Alemanha: não há limite atualmente (os alemães são muito contrários a esta medida), mas os políticos procuram fixar um em 5.000€.

A proibição de dinheiro virá para a União Européia

Até que as pessoas entendam que o problema não está nas taxas de juros, mas sim nos bancos que imprimem dinheiro do nada, os cidadãos comuns vão continuar a perder dinheiro.

Será assim até que você proteja seu dinheiro da maneira correta. Você terá que manter seu dinheiro seguro usando contas bancárias estrangeiras. Colocar seu dinheiro em contas bancárias offshore tem muitas vantagens além da (possível) segurança, vantagens de que falaremos no blog em breve.

Outras opções consistem em investir em metais preciosos ou outros bens, diversificando-os e armazená-los em diferentes lugares ao redor do mundo. As criptomoedas são outra boa opção.

A proibição do pagamento em dinheiro virá. A Europa está falando em introduzir uma, e já existem limites até certo ponto.

Logicamente, a resistência a este tipo de medidas será grande, mas os políticos e burocratas têm cada vez menos opções. Eles terão que aproveitar os poderes concedidos pela “luta contra a corrupção e a lavagem de dinheiro” para evitar a morte do sistema nas mãos da dívida e da inflação.

No final, se eles não proibirem o dinheiro, não poderão usar taxas de juros negativas para nos tributar e manter suas festas rolando. O Banco Central Europeu não tem mais opções.

Não há dúvida de que na União Europeia, esta proibição logo se tornará realidade. A Grécia pode ser a primeira a tentar isto, embora nunca se saiba o que acontecerá no futuro. Façam suas apostas!Se você quiser saber mais sobre como internacionalizar os seus investimentos e proteger seu patrimônio, marque uma consultoria pessoal conosco.

Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe internacional de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização.