Patrimônio e Investimento

Criptomoedas: O Guia Definitivo para Investimentos e Tributação

Ícone de Relógio
36 min

A Settee possui muitos tipos de leitores, há os empreendedores, os investidores, os poupadores, os nômades digitais, e, é claro, aqueles que investem e têm negócios baseados em criptomoedas. 

Nossos membros têm usado e feito negócios com diferentes tipos de criptomoedas, e também com Bitcoin é claro, por muitos anos. Hoje, nosso CSO Christoph vai compartilhar uma boa parte do que conhece nessa área.

Esse é um daqueles artigos que acreditamos poder se tornar uma das bases para qualquer pessoa que usa criptomoedas poder se orientar hoje e no futuro.

É claro, há muitos artigos sobre Bitcoin e outras criptomoedas, mas não há nenhum que se aprofunde tanto quanto este e, de uma perspectiva internacional, que dê atenção especial aos aspectos de comercialização, anonimato, investimento e impostos.

Mais e mais pessoas estão começando a acreditar que as criptomoedas, também conhecidas como moedas digitais, estão aqui para ficar.

Hoje você pode usar Bitcoin em sua vida privada e em seus negócios, e até mesmo os estados, que até recentemente haviam ignorado as criptomoedas, começaram a dar atenção a elas (é claro, assim como com a Internet, geralmente para o pior).

Nós estamos falando sobre as criptomoedas por um tempo já. Ainda nos lembramos que em 2011 você ganhava Bitcoins inteiros (com o valor atual de cerca de 50.000€ cada!) brincando com faucets. É claro, você deve lembrar que quando o Bitcoin estava começando tudo era muito mais complicado do que é hoje.

Não havia carteiras fáceis de usar para os diferentes sistemas operacionais. Naqueles tempos, o Bitcoin dependia do Windows, e talvez do Linux, e usar o Bitcoin requeria uma grande quantidade de tempo e esforço, especialmente de um ponto de vista técnico.

Em 2014, nosso CSO Christoph Heuermann escreveu sua dissertação sobre auto-governança com criptomoedas. Naturalmente, os acadêmicos não gostaram e nem conseguiram entender, mas ao menos podemos dizer que ele provou estar certo em suas previsões. Se estiver interessado em ler a dissertação e entende inglês, você pode baixá-la aqui.

Hoje daremos um passo além e falaremos sobre as criptomoedas como um investimento. Nós na Settee, por exemplo, somos muito ativos e invistimos em diferentes tipos de criptomoedas e, portanto, no fim das contas, nos deparamos com muitos problemas, os quais todos que querem investir em criptomoedas também.

Além disso, mais e mais clientes estão buscando nossas consultorias aqui na Settee sobre este assunto, pessoas que ficaram ricas da noite para o dia e não sabem o que fazer com seus Bitcoins ou Ethereum, nem como convertê-los para outras moedas ou quais impostos tem que considerar.

Este artigo não pretende ser uma introdução às criptomoedas. A leitura requer um conhecimento básico do assunto, pois se aplica a quem já começou a investir e a negociar com criptomoedas e o faz com algum sucesso. Se você precisa desse conhecimento básico, pode obtê-lo pesquisando na Internet por “noções básicas de Bitcoin” ou “como funcionam as criptomoedas”.

Bitcoin como um link

É impossível falar sobre criptomoedas sem mencionar o Bitcoin. O Bitcoins é (no momento) a criptomoeda com a maior capitalização de mercado e vai para os livros de história como a primeira criptomoeda.

No momento em que este artigo foi escrito (levando em consideração as mudanças rápidas neste mundo), o Bitcoin tinha uma capitalização de mercado de cerca de 170 bilhões, com o total de todas as criptomoedas juntas sendo 310 bilhões.

O Bitcoin continua a ser a criptomoeda número um, mas isso é algo que pode mudar no futuro, já que outras moedas como Ethereum estão fazendo de tudo para roubar esse título.

De certa forma, todas as criptomoedas são consideravelmente dependentes da eficácia da rede Bitcoin, uma vez que é a primeira e mais famosa criptomoeda.

Na verdade, até recentemente, todas as transações de moeda fiduciária (euro ou dólar) para Altcoins (criptomoedas alternativas) tinham que passar primeiro pelo Bitcoin. Não era possível trocar, vender ou comprar diretamente outras criptomoedas.

Esta não é a única causa da sobrecarga da blockchain do Bitcoin, a força motriz por trás do Bitcoin.

Uma das principais vantagens do Bitcoin no passado, a capacidade de fazer transferências em questão de segundos sem quase nenhuma taxa, agora não existe mais. As vezes você precisa esperar até vários dias ou pagar grandes taxas para receber o status de prioridade para suas transações urgentes.

No momento, já é possível pelo menos comprar o Ethereum e outras criptomoedas com maior capitalização diretamente. Sem dúvida, pode ser uma ótima alternativa ao Bitcoin para se apresentar rapidamente ao “mercado de criptos”.

Não há dúvida de que o Ethereum está se tornando uma moeda tão importante quanto o Bitcoin, já que, com sua “linguagem de programação descentralizada” e contratos inteligentes, agrega mais valor do que o Bitcoin além de seu papel como moeda.

O Ethereum se tornou uma grande oportunidade de investimento, da qual falaremos com mais detalhes em outra parte deste artigo.

No entanto, falaremos apenas um pouco sobre o futuro do Bitcoin e seus problemas estruturais (veja abaixo). Assim como estou convencido de que as criptomoedas são o futuro, também sou cético em relação ao Bitcoin, pelo menos por enquanto.

Agora guardo apenas algumas frações de Bitcoin e não compro mais (embora ainda ofereça a opção de pagar por consultas nesta e em outras criptomoedas).

Mesmo que o Bitcoin tenha se multiplicado dez vezes em alguns meses (e depois imediatamente caiu novamente), é possível ir muito mais alto com outras moedas Altcoin.

Nos círculos de criptomoedas, as pessoas já estão falando sobre o “flippening”. Mais e mais pessoas estão duvidando da supremacia do Bitcoin e acreditam que ele está prestes a acabar, esperando uma aquisição pela Ethereum ou outra cripto.

Claro, as duas moedas podem coexistir, pois cada uma tem uma função diferente.

O Bitcoin é uma moeda descentralizada e não inflacionária (embora tenhamos que levar em consideração os próximos hard forks ou mudanças radicais de protocolo, sobre as quais falaremos mais tarde).

Isso não é algo que pode ser dito sobre o Ethereum. Neste caso, a equipe que o desenvolve assumiu o controle centralizado do DAO-Hardfork (por isso a moeda foi dividida em duas: Ethereum e Ethereum Classic) e novos ETH estão constantemente sendo minerados.

Em suma, isso nada mais é do que um snapshot. No mundo de criptomoedas, as mudanças estão acontecendo em um ritmo acelerado. É muito provável que, no momento da leitura deste artigo, tudo tenha mudado, que novas moedas tenham surgido e outras tenham ficado para trás. Essa é a beleza do mercado livre de criptomoedas, o investimento é empolgante e lucrativo.

Sobre exchanges e carteiras eletrônicas e offline

Antes de falar em investir em criptomoeda, é importante se familiarizar com a melhor forma de armazenar criptomoedas com segurança, pois esse é um dos aspectos em que muitos iniciantes cometem erros graves.

Você pode escolher armazenar seu dinheiro na nuvem, em bolsas e carteiras digitais ou pode armazená-lo offline, usando o hardware como uma carteira (ou seja, um dispositivo físico).

Em geral, é recomendável que você salve suas criptomoedas offline, ou seja, salve-a com segurança e sem uma conexão com a internet. Embora, é claro, quando você quiser negociar, transferir ou recebê-los, terá que se conectar à Internet.

Se guardar as sua criptos offline, você não pode ser hackeado e, desde que tenha tomado as medidas necessárias e saiba como restaurá-las (com uma cópia de segurança), mesmo que o hardware esteja danificado, ainda pode aceder à sua moeda.

Muitos Bitcoins desapareceram no nirvana digital porque seus proprietários não se lembraram da sua chave privada ou da frase mnemônica necessária para a recuperação.

Como, por motivos de segurança, não é aconselhável manter a chave privada na nuvem ou em qualquer dispositivo com acesso à internet, as frases mnemônicas se tornaram padrão no mundo da criptomoeda.

Você tem que memorizar 12 palavras diferentes sem nenhuma conexão entre si na ordem correta. É aconselhável que você pegue papel e caneta e crie uma carteira de papel, o que significa que você escreve a chave no papel e faz com que qualquer vestígio digital dela desapareça. Naturalmente, você deve manter a carteira de papel em um local seguro.

As pessoas mais “hardcore” até mesmo optam por desconsiderar isso e confiar em sua memória para armazenar a chave.

Em princípio, não há limites para a criatividade quando se trata de armazenar sua criptomoeda. Na verdade, há hardwares inovadores no mercado, como o Trezor ou Ledger, que permitem armazenar suas criptomoedas offline.

Você também pode armazenar suas criptomoedas em um pen drive e enterrá-las no jardim ou implantar um chip sob a pele. É claro que poucos vão a esses extremos, o que poderia ser visto como a versão moderna de armazenar suas economias na forma de dentes de ouro.

Muitas vezes, as pessoas optam por armazenar a maior parte de seus ativos em bolsas e carteiras online, sem estarem cientes dos riscos. São muito convenientes e têm a vantagem de não ter de se lembrar de nada.

Mesmo se você esquecer sua senha, você ainda tem alguém que pode lhe dar acesso à sua conta (se você verificar sua identidade, é claro). 

Embora a verificação tenha a vantagem de permitir que você acesse novamente suas criptomoedas caso perca sua chave, ela também destrói qualquer chance de anonimato.

A vantagem das criptomoedas reside não apenas em sua natureza descentralizada, mas também em sua natureza anônima ou pelo menos pseudônima.

As transações de Bitcoin aparecem publicamente na blockchain e podem ser rastreadas por qualquer pessoa.

Atualmente, existe um software especializado que é capaz de analisar e avaliar a blockchain e, embora seja verdade que ninguém pode vincular os números que aparecem ali às pessoas por trás deles, assim que uma chave pública é associada a uma identidade verificada em qualquer plataforma online, a pessoa por trás dela será exposta.

Por outro lado, ao contrário do que acontece com as carteiras offline, as bolsas e outras plataformas online podem estar sujeitas à regulamentação, ser manipuladas ou mesmo proibidas a qualquer momento.

Os operadores também podem decidir levar todas as criptomoedas que estão hospedadas lá, algo que já aconteceu várias vezes.

Ou as grandes somas de dinheiro nessas trocas podem atrair hackers que conseguem roubar parte ou toda a criptomoeda. O exemplo mais conhecido disso é provavelmente a bolsa japonesa MTGox.

Hoje em dia, ataques bem-sucedidos tornaram-se muito menos comuns, pois os mecanismos de segurança são muito melhores.

É claramente essencial que você use a autenticação de dois fatores para suas carteiras online, por mais inconveniente que possa parecer. É melhor perder um pouco de tempo ao fazer login em sua conta ou fazer uma transação do que perder todo o seu dinheiro de uma só vez.

Dependendo da plataforma em que se encontra e da opção que escolheu, vão lhe enviar um e-mail ou SMS de confirmação. Em alguns casos, eles usam aplicativos como o Authy ou seu próprio aplicativo. Com isso, pelo menos você tem alguma proteção extra para seu dinheiro.

De qualquer forma, você precisa ser capaz de confiar totalmente nas pessoas por trás do serviço que você usa, uma vez que elas têm acesso total à sua conta.

Se você não negociar diariamente, deve separar pelo menos parte de suas criptomoedas da Internet.

As criptomoedas ganham (ou perdem) valor, estando ou não conectadas à nuvem.

Bancos e bolsas são certamente mais práticos, mas se você quiser manter suas criptomoedas seguras e anônimas, é melhor mantê-las em seu próprio hardware e ter algum tipo de backup.

Anonimato com Bitcoin Mixer

A possibilidade de usar um pseudônimo do Bitcoin pode ser vista como uma vantagem ou uma desvantagem. Se fosse uma moeda totalmente anônima, certamente não teria sido capaz de se adaptar ao mercado da maneira que o fez, nem teria alcançado a aceitação necessária nos marcos regulatórios.

Não duvide que se você simplesmente usar um serviço de carteira online, será muito fácil reverter seu anonimato.

Existem várias opções para você manter sua privacidade.

Contanto que você não tente trocar sua criptomoeda, você poderá negociar sem verificar sua conta na maioria das trocas. Somente quando você mudar para dinheiro fiduciário, você terá que verificar sua identidade

Você pode transferir e converter seus Bitcoins em criptomoedas mais anônimas, como Monero, ZCash ou Dash, e depois convertê-los novamente em Bitcoin. Claro, você deve ter em mente que pode ter que pagar taxas de câmbio para isso.

Se você usa apenas Bitcoin, pode tentar ocultar alguns dos pagamentos passando seu Bitcoin de suas carteiras online verificadas para várias carteiras offline antes que o pagamento chegue ao destinatário final.

No entanto, parece que mesmo neste caso a transação pode ser rastreada através de alguns softwares especiais.

Outra boa opção é usar os Bitcoin Mixers (também conhecido como tumbler ou serviço de mistura). Esses serviços movem e combinam o Bitcoin de diferentes usuários de forma descentralizada.

Sem dúvida, é importante considerar se os provedores de serviço realmente enviaram a criptomoeda.

Aqui estão alguns fornecedores que acreditamos ser confiáveis:

Criptomoedas e impostos; evite ficar na área cinzenta

O que foi dito até agora sobre carteiras eletrônicas online e offline, bem como o anonimato nas operações de criptomoeda, também desempenha um papel importante no manuseio de criptomoedas para fins fiscais.

Infelizmente, é difícil encontrar respostas claras sobre a tributação do Bitcoin e de criptomoedas em geral. Especialmente porque os reguladores financeiros, as autoridades fiscais e os títulos do Tesouro ainda estão a anos-luz de compreender o fenômeno Bitcoin.

Poucos funcionários financeiros já ouviram falar do Bitcoin, muito menos de outros tipos de criptomoedas. Na verdade, apenas alguns países no mundo já definiram um status fiscal claro para criptomoedas.

Portanto, um dos principais objetivos de um criptoempreendedor ou cripto-trader deve ser mudar-se para um dos países com legislação mais clara. Melhor ainda se for também um país com poucos impostos e onde os dividendos vindos do exterior também não são tributados. Ao fazer isso, você pode abrir sua empresa em um país claramente favorável a criptomoedas (veja abaixo).

Na Alemanha, por exemplo, o Bitcoin com um período de retenção de mais de 1 ano não é tributado. As vendas neste período não estão sujeitas a imposto de renda retido na fonte, mas são adicionadas ao imposto de renda como uma transação de venda privada. 

O Bitcoin em si é isento de IVA no momento da compra ou venda, mas, é claro, o IVA deve ser pago se os serviços ou produtos forem pagos com criptomoedas. Da mesma forma, o imposto de renda deve ser declarado e pago no final do ano sobre os lucros obtidos, independentemente de se tratar de renda de trading, comissões, receitas de mineração etc.

Outro fator que muitos esquecem: assim que os Bitcoins são emprestados, por exemplo, em programas de investimento de alto rendimento (HYIP) ou esquemas Ponzi, os lucros não são isentos de impostos na Alemanha antes de 10 anos.

Devido ao (relativamente) pouco conhecimento sobre criptomoedas e ao bom grau de anonimato que oferecem, muitos optam por manter um perfil discreto.

Afinal, manter os registros financeiros em ordem para obter ganhos em criptomoedas (convertendo-os continuamente para euros) não é uma tarefa fácil, especialmente se considerarmos que ainda não existem programas que fazem isso para você (talvez esta possa ser uma oportunidade de negócio para um programador, quem sabe!).

Seja como for, você deve evitar manter as transações com Bitcoin em segredo. As autoridades financeiras mundiais estão avançando lentamente, estão se preparando e contratando especialistas para monitorar a blockchain.

Na verdade, já existe o software necessário para fazer isso e embora você ainda tenha a opção de usar Bitcoin anonimamente, no final, é um jogo arriscado que, no longo prazo, e como acontece com os lucros das empresas e indivíduos escondidos em paraísos fiscais, você perderá.

Não há dúvida de que a falta de uma estrutura legal clara é um grande problema para investidores e comerciantes de criptomoedas que estão cada vez mais dispostos a se mudar para países onde as criptomoedas já tem uma legislação fiscal e legal clara ou onde existem leis que são mais propensas a deixar as operações de criptomoedas isentas de impostos.

Por exemplo, os ganhos de capital privados com os lucros obtidos na venda de criptomoedas são isentos de impostos na Dinamarca. No entanto, assim que houver algum tipo de transação comercial, ela estará sujeita ao imposto de renda normal.

Já conhecemos este problema quando olhamos para o comércio com moeda fiduciária em países como Malta e Irlanda. Nestes países com sistema non-dom, os rendimentos do exterior estão isentos de impostos, desde que não sejam trazidos para o país de residência.

É claro que aqueles que acreditam que esses países são bons em negociar ou investir em criptomoedas precisam dar uma olhada mais de perto.

Os empresários que investem com moeda fiduciária devem pagar pelos seus lucros como se fossem receitas locais, uma vez que, segundo as autoridades fiscais, se trata de uma atividade que se desenvolve localmente.

Em países non-dom, apenas os lucros ocasionais do mercado de ações feitos por investidores privados permanecem isentos de impostos. Na Suíça, encontramos uma situação semelhante.

Apesar de tudo, pode fazer sentido mudar-se para um país como Malta. As criptomoedas estão legalizadas e o ex-primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, falou anteriormente sobre o Bitcoin de maneira positiva e desejava transformar seu país no epicentro de “negócios de criptos” no Mediterrâneo. Neste ponto, é interessante acompanhar de perto o desenvolvimento de Malta.

A Holanda também pode ser uma opção interessante. Lá, desde que não seja considerada uma atividade profissional, você terá que pagar apenas 1,2% dos impostos sobre os lucros obtidos com Bitcoin e outras criptomoedas.

Geralmente, pode ser uma opção manter a residência fiscal em países onde a estrutura legal para criptomoedas ainda não foi resolvida, ou seja, em países onde não há uma legislação clara.

Principalmente nos países com uma atitude mais aberta em relação às criptomoedas, já que é provável que optem por oferecer condições vantajosas de lucro nesta questão.

Por exemplo, nesse aspecto, na Europa, temos países como Malta, República Tcheca, Lituânia, Suíça, Irlanda e Inglaterra.

Se quisermos buscar opções fora da União Europeia, em princípio qualquer país sem impostos diretos ou com um sistema tributário territorial é útil.

Além dos típicos mini estados europeus e as ilhas do Caribe, os Emirados Árabes Unidos também podem ser uma opção muito interessante.

Nos Emirados, você pode obter um visto de residência estabelecendo uma empresa em uma zona franca por cerca de 12.000€. Além do mais, você nem precisa usar a empresa; os bitcoins permanecem isentos de impostos tanto a nível privado como comercial.

E isso não é tudo. Existem muitas nações com um sistema de tributação territorial para escolher, nações nas quais a renda do exterior geralmente permanece isenta de impostos. Nesse grupo, temos países como Geórgia, Panamá, Paraguai, Tailândia, Filipinas ou Costa Rica.

Países onde os ganhos de capital para lucros no mercado de ações não estão sujeito a impostos também podem valer a pena. Isso inclui a Nova Zelândia e as Ilhas Maurício.

O Bitcoin é atualmente reconhecido como curso forçado no Japão, por exemplo. Claro, devo esclarecer que o Bitcoin ou outras criptomoedas se tornarem moeda legal é um fator desejável.

Outros estados asiáticos, como Hong Kong e Cingapura, estão em processo de fornecer uma estrutura legal para criptomoedas.

Também podemos identificar outros países que podem realmente ser de interesse, embora não necessariamente como residência, mas sim como sede da empresa.

Atualmente, muitos ICOs (Oferta Inicial de Moedas) atuam em Gibraltar ou na Ilha de Man, dois territórios autônomos pertencentes ao Reino Unido que oferecem grandes vantagens às empresas do setor de criptomoedas, perfeitos para a criação de estruturas societárias isentas de impostos.

Belize é outra opção muito mais barata de abrir uma empresa no setor de criptomoedas. Lá ainda é possível escolher criptomoedas como categoria de operações para sua empresa. A Suíça e Liechtenstein também criaram regulação bem favorável a empresas no ramo criptomoedas, onde hoje já existe um ecossistema de empresas no ramo bem grande, o chamado “Crypto Valley”.

Se você mora em um país onde deveria pagar impostos, mas não há regras de CFC ou qualquer tipo de restrição para administrar empresas estrangeiras, uma boa opção seria abrir sua empresa em Hong Kong ou Belize.

No final das contas, é importante não perder de vista os aspectos legais e fiscais do Bitcoin. Não há muitos países onde a tributação de criptomoedas seja claramente regulamentada. É de se esperar que, no longo prazo, criptomoedas estarão sujeitas a regras iguais ou mais rigorosas do que as que já existem para moeda fiduciária.

Devido à alta margem de lucro, é provável que acabemos com um imposto ainda mais alto sobre criptomoedas do que sobre os lucros do mercado de ações, talvez até acima de 50%.

Sem dúvida, o melhor que você pode fazer é agir de acordo com as regras da Teoria das Bandeiras: pense internacionalmente e busque segurança e maior lucro.

Imposto sobre Bitcoin e Criptomoedas na Espanha

Na Espanha, o Bitcoin e criptomoedas também não têm uma estrutura legal clara. Na verdade, dada a falta de respostas claras ou mesmo meio claras por parte da agência tributária, muitos optaram por se esconder, o que pode ser um problema no longo prazo.

Na Espanha, também existe uma diferença entre o uso de criptomoedas como forma de investimento e como forma de pagamento.

Se for usado como forma de pagamento, o IVA deve ser adicionado às transações, mas não é aplicado à transferência da moeda.

Se a criptomoeda for usada como forma de investimento, a receita deve ser contabilizada na declaração anual de imposto de renda e, claro, os impostos devem ser pagos sobre ela (entre 19% e 23% dependendo do ganho de capital). 

Se você se concentra em minerar ou realizar trading profissionalmente com Bitcoin e sua empresa, geralmente você precisa registrar sua atividade.

Até agora tudo parece claro, mas, naturalmente, o problema está nos detalhes.

A venda de Bitcoin ou outras criptomoedas é um ganho ou perda de capital obtido pela diferença entre o valor de compra e o valor de varejo. O método FIFO (First In, First Out) é usado para calcular o lucro obtido. Na Espanha, você sempre deve calcular a diferença em euros.

Geralmente, mesmo se você mantivesse o dinheiro em criptomoeda, você teria que pagar pelo ganho patrimonial ao trocar entre diferentes criptomoedas, pois, de acordo com a lei, assim que houver uma alteração na composição e avaliação do patrimônio, você tem de declará-lo e pagar impostos.

Claro, algumas pessoas interpretam isso como significando que se você mantiver seu dinheiro em criptomoeda, mesmo que compre e venda tipos diferentes, não terá que declarar nada até convertê-lo em uma moeda fiduciária. No entanto, isso não está claro e, de fato, é provável que a Agência Tributária não veja as coisas dessa forma.

Quanto às perdas com criptomoedas, é claro que você pode compensá-las com outros ganhos de capital que teve no mesmo ano, independentemente do tipo. Você também pode compensá-los com ganhos de capital nos próximos 4 anos, assim como com perdas no mercado de ações.

Depois, há a emissão do Formulário 720, que exige que você declare todos os ativos no exterior. Em princípio, o dinheiro de criptos não precisa ser considerado um ativo no exterior, mas resta saber como isso será decidido.

E, finalmente, os recibos. Se você deseja evitar problemas por lavagem de dinheiro e similares, deve manter os recibos de todas as suas transações para que possa justificar seu aumento de capital.

Outro Exemplo: Imposto sobre Criptomoedas em Portugal

Em Portugal, criptomoedas não são legalmente consideradas moedas. No entanto, o país leva em consideração que podem ser obtidos lucros que estariam sujeitos a impostos, incluindo:

1. Lucros obtidos por meio da compra-venda de criptomoedas e da troca por moeda fiduciária (o que eles chamam de "dinheiro real");

2. Comissões obtidas pela prestação de serviços relacionados à obtenção ou posse de criptomoeda;

3. Lucros obtidos com a venda de produtos ou serviços pagos com criptomoeda.

A receita gerada pela compra e venda de criptomoedas (o primeiro dos três casos acima) é classificada em três tipos diferentes: 

• Ganhos de capital, categoria G

• Renda de investimento, categoria E

• Renda comercial e profissional, categoria B

Uma vez que a compra e venda de criptográficos (ainda) não é vista como categoria G e que a referida categoria é exclusiva, estes lucros não são tributados de acordo com a categoria G e, portanto, serão isentos de impostos em Portugal enquanto não for considerada uma operação regular nem constituir atividade profissional ou comercial (nestes casos, seriam tributados na categoria B).

Tenha em mente que esse é o caso desde 2018 e é muito provável que uma legislação venha a ser elaborada contra isso (já existem propostas nesse sentido), pelo que nos próximos anos os lucros de criptomoedas obtidos por particulares poderão ser tributados em Portugal.

Fonte: Consulta vinculativa da Autoridade Tributária e Aduaneira Portuguesa.

Em última análise, é uma situação semelhante à de outros países como Benelux, Suíça, Malta, Irlanda, Holanda… Enquanto for uma atividade não profissional, você paga apenas poucos impostos ou até mesmo nenhum imposto.

Uma atividade não profissional significa que você apenas investe seu próprio capital e não gasta o dia todo dedicado a ele (o número de transações também é importante, o que significa que day trading não contaria). Também leva em consideração se você tem outras ocupações ou se vive apenas de seu investimento.

Investindo com Criptomoedas

Quando falamos sobre investidores e negociantes de Bitcoin, estamos falando de maneira muito geral. Na verdade, existem muitas maneiras de ganhar dinheiro com criptomoeda, maneiras que veremos brevemente neste artigo.

Há duas coisas que devemos levar em consideração se vamos entrar neste campo.

Em primeiro lugar, as criptomoedas são extremamente voláteis. No mercado de ações, as ações oscilam apenas entre 5% e 10% no dia a dia e isso em circunstâncias excepcionais. Isso é normal para criptomoedas. Não é incomum que haja flutuação entre 50% e 100%. 

Esse aspecto das criptomoedas pode ser muito atraente no início, mas também pode dar errado. Em última análise, é importante não investir mais dinheiro do que você pode perder em criptomoedas. Colocar todas as economias da aposentadoria do seu avô ou todas as suas na mesa não é uma boa ideia.

Se você investir uma boa parte de seus ativos em criptomoedas, você deve, pelo menos, diversificar o suficiente. Não apenas dividindo o Bitcoin em diferentes carteiras e bolsas offline como dissemos antes, mas acima de tudo, escolhendo diferentes tipos de criptomoedas.

No início de 2018, já existiam 1.300 tipos de criptomoedas, dos quais apenas cerca de 800 eram usados ​​ativamente. Muitos dos projetos que pareciam promissores em um momento falharam terrivelmente e milhões foram perdidos.

Apesar de toda a “euforia cripto”, é importante lembrar que isso pode acontecer com a mesma rapidez com seus amados Altcoins (que, aliás, é a abreviatura de moeda alternativa).

O segundo aviso é ainda mais essencial.

O anonimato proporcionado pelas criptomoedas e a possibilidade de fazer pagamentos internacionais imediatos também tiveram um forte efeito sobre certos personagens ditos sombrios e figuras ocultas.

Não são apenas os hackers que procuram o menor indício de vulnerabilidade nas carteiras e bolsas para roubar criptomoedas. Entre os provedores de serviços Bitcoin, mineração digital ou mesmo os criadores de novas criptomoedas, também existem muitos personagens desagradáveis ​​(as chamadas ovelhas negras).

Se você não se informar e proteger sua conta bem antes de iniciar e operar, poderá acordar na manhã seguinte com uma conta vazia.

A variedade de opções, de fraude óbvia a esquemas de pirâmide complexos, é muito grande no mundo das criptomoedas.

Certamente, casos de moedas fraudulentas como a OneCoin nos mostraram como é fácil explorar a ganância do homem.

Antes de investir em uma nova criptomoeda, você deve parar para pensar se o que você pode ver faz sentido ou se é realmente bom demais para ser verdade. Todos nós gostamos de pensar que somos únicos e mais inteligentes do que os outros. Sair da caixa e fazer algo diferente é importante, mas se for feito às cegas, raramente é uma boa jogada.

Você deve ser particularmente cuidadoso com todas as criptomoedas (como OneCoin e Bitconnect) e com provedores de serviços de mineração digital (como Bitclub Network) que não têm outra base que não o marketing multinível.

A mineração, pelo menos no que diz respeito ao Bitcoin, não é mais lucrativa em microinvestimentos.

Geralmente, você deve evitar completamente entrar na mineração das criptomoedas mais capitalizadas, a menos que você seja um especialista ou saiba que está trabalhando com uma. Certamente é preferível optar por criptoinvestimentos em moedas com menor capitalização, pois são muito menos suscetíveis a fraudes e mais rentáveis.

Apesar da alta volatilidade e suscetibilidade à fraude, as criptomoedas são uma excelente oportunidade para aumentar pequenas quantias de dinheiro.

Por exemplo, em 2016 investi 500€ em transações automáticas de ETH / BIT na Poloniex.

Só voltei a olhar meio ano depois. Nesse tempo, o valor da conta havia se multiplicado por 20 para quase 10.000€, em grande parte graças ao aumento do Ethereum.

Esses 10.000€ tornaram-se uma boa base para novos investimentos em criptomoedas que, em questão de 8 meses, multiplicaram o valor original por 50.

Dadas as baixas taxas de juros pagas pelos bancos em geral na Europa, certamente faz sentido desviar uma pequena parte de suas economias para criptoinvestimentos, embora você deva tomar certos cuidados em consideração e só fazê-lo se for um dinheiro que você realmente pode viver sem.

Mineração de Criptos

As criptomoedas não aparecem repentinamente do nada, mas geralmente são criadas ou descobertas.

Visto que criptomoedas são um sistema descentralizado de código aberto, existem parâmetros publicamente conhecidos que determinam a quantidade de dinheiro, a inflação e outros fatores relevantes de qualquer criptomoeda.

Não quero entrar no contexto técnico do processo de mineração aqui. Se você estiver interessado, recomendo o seguinte vídeo de 22 minutos intitulado “como o Bitcoin funciona nos bastidores”.

Mineração direta raramente vale a pena, então se você não entende bem disso, não é um campo atrativo, na nossa opinião.

Os seguintes provedores de serviços de mineração na nuvem são atualmente bastante confiáveis e geram lucros:

Lending, Staking, Liquidity Mining e Margin Trading

Através de protocolos e plataformas de DeFi (finanças descentralizadas), hoje em dia já é possível obter retornos sobre suas criptomoedas colocando elas para usos produtivos. 

Lending, ou empréstimos de criptomoedas P2P (ponto a ponto, ou seja, em termos leigos) envolve emprestar uma criptomoeda (na maioria das vezes stablecoins de dólar) para pessoas que depositam uma certa quantia de colateral em outra criptomoeda (na maioria das vezes, BTC ou ETH) e pagam uma % de juros para ter acesso ao capital. 

Liquidity mining, ou mineração de liquidez, é o ato de fornecer liquidez em criptomoedas para exchanges descentralizadas (DEXs). Como o objetivo principal de uma troca é ser líquida, os DEXs procuram recompensar os usuários dispostos a trazer capital para sua plataforma.

Tanto para lending quanto liquidity mining existem diversas opções de protocolos de finanças descentralizadas (DeFi), a maioria atualmente em Ethereum, e algumas opções em Matic (Polygon), Bitcoin e Binance Chain. 

Já staking é o processo de manter os fundos de uma criptomoeda em uma carteira ou pool de criptomoedas para ajudar uma blockchain baseada em Proof of Stake a operar com mais eficiência e segurança. Nesse processo, os donos de criptomoedas trancam um certo número de moedas a fim de participar de um processo de seleção aleatória pelo protocolo subjacente para se tornar um validador de blocos, sendo recompensados por isso. 

Também é possível realizar margin trading, ou negociação em margens, com criptomoedas em corretoras como Bitfinex.

Claro, nenhuma dessas opções é são sem riscos: com empréstimos a pessoa pode não pagar o empréstimo de volta e você acaba com o colateral em outra moeda; ao prover liquidez existe o risco de perdas impermanentes (impermanent loss); com staking, você pode perder a liquidez do seu ativo, pois em várias chains ele precisa ficar trancado por um período definido; e claro, ao operar alavancado, você pode ser liquidado. Como sempre, pesquise os riscos antes de realizar qualquer atividade.

Existem várias organizações centralizadas, incluindo corretoras, que oferecem Lending, Staking, Liquidity Mining e/ou Margin Trading:

Entre alguns dos fornecedores descentralizados mais famosos de cada chain estão:

HYIP (Carteira de Investimentos de Alto Rendimento)

HYIPs (High Yield Investment Portfolios) são programas de investimento altamente lucrativos e, essencialmente, o equivalente a um esquema de pirâmide. Quanto mais tempo o seu dinheiro estiver lá, maior será a probabilidade de você perdê-lo. 

HYIPs são projetados para falhar desde o início. Eles prometem altos lucros que em princípio não podem ser alcançados, muito menos no longo prazo. Se você permitir que a ganância o cegue, poderá perder muito dinheiro em busca de algum dinheiro rápido.

Em última análise, os HYIPs são financiados pelo recrutamento de novos membros, geralmente por meio do marketing de redes sociais.

Assim que o pote estiver cheio o suficiente, a pessoa ou pessoas por trás do HYIP sairão com todas as criptomoedas que foram investidas até agora. Os investidores perceberão isso assim que verem que o dinheiro parou de fluir.

No entanto, também existem maneiras de tirar proveito dos HYIPs. Na verdade, existem até fórmulas matemáticas que são mais ou menos capazes de calcular a vida útil dos HYIPs.

Se você se envolver relativamente cedo e aproveitar a demanda, poderá obter um lucro considerável.

Na nossa opinião, contanto que você faça isso apenas para acumular ativos e não para buscar e convencer outros investidores ingênuos a aderir, pode valer a pena.

Alguns HYIPs que existiam quando este artigo foi inicialmente escrito, mas que já estão todos mortos:

  • Verum BTC
  • Cryptobit Ventures
  • ColoBIT

Apostando com Criptomoedas 

Quanto às apostas, não há muito o que dizer. Tudo em que você pode apostar no mundo real, você também pode apostar no mundo Bitcoin e em outras criptomoedas.

Como as apostas em criptomoedas não estão sujeitas a nenhum tipo de regulamentação, qualquer pessoa com um certo nível de conhecimento de programação pode montar seu próprio site de apostas e oferecer a possibilidade de depositar e sacar criptomoedas, algo que exigiria uma licença no mundo real e numerosas as regras.

Naturalmente, também podemos encontrar muitas dessas “ovelhas negras” e personagens duvidosos no setor de apostas.

Aqui estão alguns sites de apostas em criptomoedas descentralizados:

E outros dois centralizados:

Corretoras – Trading de Criptomoedas

E, por fim, chegamos às diferentes corretoras (exchanges) que nos permitem comprar e vender de maneira semelhante ao que fazemos com moeda fiduciária. 

Aqui você tem que diferenciar entre as exchanges nas quais você só pode negociar com criptomoedas e aquelas que também permitem depósitos e retiradas de moeda fiduciária. 

Ao contrário do que acontece nas primeiras trocas, nas últimas você deve se identificar seguindo o processo KYC que conhecemos dos bancos (ou seja, fotocópia do seu passaporte, uma nota ou extrato bancário etc.).

Nas trocas de criptomoedas, você também pode trocar criptomoedas por dólares, mas não é possível sacar o dinheiro diretamente. Ao fazer isso, você pode manter parte de seus ativos em moeda fiduciária, que é muito menos volátil do que a criptomoeda.

O funcionamento das bolsas não é muito diferente daquele encontrado nas corretoras clássicas. Dependendo do provedor, pode ser relativamente simples.

Quem quiser investir no mercado de ações (seja em moeda fiduciária ou criptomoeda) deve entender os conceitos básicos de trading, o que constitui uma ordem de limite, a ordem de mercado, ordens de parada e ordens condicionadas.

Não é incomum que parâmetros que foram erroneamente estabelecidos por um trader levem a uma reação em cadeia de pessoas comprando e vendendo a preços não intencionais.

Aqueles que começam com criptomoedas geralmente não estão interessados ​​em outra moeda além da compra inicial da criptomoeda escolhida. Eles não negociam diariamente, mas, em vez disso, seguem a abordagem de longo prazo da estratégia do buy and hold.

Eu também não costumo negociar diariamente, mas aposto no aumento do valor de certas criptomoedas que me chamam a atenção.

Se você seguir esse tipo de estratégia, não será afetado por fortes perdas ou valores baixos, muito pelo contrário, na verdade, você deve vê-los como uma oportunidade de comprar mais a preços mais baratos. No longo prazo, seguir esse tipo de estratégia e resistir em tempos difíceis geralmente produz bons resultados.

As bolsas oferecem muito mais opções para usuários avançados, como negociação de margem, um tópico que não abordaremos neste artigo.

É fundamental ter em mente que, como dissemos no início do artigo, as criptomoedas são suscetíveis a fraudes e os provedores de serviços podem ser hackeados a qualquer momento.

É aconselhável usar apenas corretoras que oferecem autenticação de dois fatores e, claro, se for opcional, devemos usá-la, embora seja inconveniente ter que digitar a senha todas as vezes. Com isso, podemos evitar o roubo de todo o nosso dinheiro na corretora.

As corretoras não oferecem a possibilidade de negociação com todas as criptomoedas, muitas vezes são muito seletivas e dependem de cada região. Mesmo muitas Altcoins relevantes estão disponíveis apenas nas maiores bolsas.

Se você quiser saber onde negociar com seu Altcoin preferido, você pode dar uma olhada no site da própria moeda ou na página CoinMarketCap que mostra o preço e informações sobre um grande número de criptomoedas. A CoinMarketCap também é uma ótima forma de acompanhar a cotação das moedas que você está interessado, já que você pode adicionar as suas moedas preferidas aos favoritos.

Entre as corretoras mais utilizadas estão:

Kraken: A Kraken, sediada nos Estados Unidos, é uma das maiores corretoras do mundo, oferecendo uma grande variedade de pares de criptomoedas e taxas bem baixas. Além disso, possui uma versão com funções mais avançadas para traders profissionais, com operação de margens, futuros e até staking para gerar renda passiva. 

Outro fato muito interessante é que a corretora está lançando um dos primeiros criptobancos do mundo, o Kraken Bank, possibilitado pela regulação aberta a criptos do estado de Wyoming, nos EUA. O projeto ainda está em desenvolvimento, mas certamente será um dos pioneiros de uma indústria muito interessante.

A Kraken é a corretora que usamos e recomendamos na Settee. Se você quiser abrir uma conta lá, pode usar o nosso código de afiliados.

Bitfinex: a sede da Bitfinex fica em Hong Kong. É a segunda maior corretora do mundo e tem como foco as criptomoedas que, em sua opinião, apresentam o maior potencial. 

Você também pode trocar, comprar e retirar dólares e euros. A corretora também permite que você empreste criptomoedas usando o financiamento de margem para obter alguns juros de baixo risco.

A Bitfinex tem conexões suspeitas com a criptomoeda Tether, que está vinculada ao dólar. Muitos temem que o Tether não esteja realmente respaldando a moeda em dólares e que, portanto, uma grande parte do aumento das ações da Bitfinex, especialmente dos Bitcoins adquiridos pela Tether, desaparecerá assim que isso for descoberto.

Apesar de tudo, achamos que a Bitfinex é uma boa corretora para quem está começando no mundo das criptomoedas.

Binance: Binance é uma boa alternativa para negociar com uma quantidade enorme de criptomoedas.

Poloniex: Poloniex é uma corretora apenas de criptomoedas, o que significa que você só pode transferir e receber criptomoedas, embora um grande número de criptomoedas, mesmo muitas menos conhecidas.

Estamos encarando uma bolha similar a das "ponto com"?

Dada toda a euforia das criptomoedas, não é uma má ideia prestar atenção a quem diz que Bitcoin e cia. não passam de uma mania ou tendência momentânea que acabará fracassando dramaticamente.

Estamos convencidos de que as criptomoedas são uma inovação revolucionária que mudarão as regras do jogo no longo prazo, embora certos paralelos com a "bolha das ponto com" não possam ser ignorados.

Hoje, como naquela época, o “novo mercado” é visto como um mercado em que o dinheiro é investido de forma cada vez mais temerária. Hoje, assim como naquela época, existem muitas ideias e tecnologias extremamente interessantes para as quais o momento não é adequado.

Existem muitas criptomoedas e aplicativos descentralizados que ainda não têm um uso específico real. Isso pode mudar daqui a 15 anos, como aconteceu com muitas das tecnologias e ideias que não foram adiante durante a "crise das ponto com" e agora são extremamente lucrativas.

Cada geração tem sua própria “mania das tulipas” e agora é possível incluir criptomoedas entre elas.

No entanto, apesar de todos os paralelos, há de fato uma diferença decisiva.

Muitas das melhores ideias de criptomoedas vêm de comunidades e desenvolvedores voluntários e os frutos de seu trabalho são de código aberto, o que significa que são acessíveis a todos.

Isso significa que, mesmo que esses grupos percam a motivação ou o financiamento para continuar com o projeto, outros podem continuar a qualquer momento.

Além do conhecimento de linguagens de programação comuns, dificilmente existem barreiras que o impeçam de entrar no setor de criptomoedas: um grande investimento de capital não é mais necessário, o que significa que também não há falências.

Os projetos que vão falir geralmente o fazem porque houve uma intenção fraudulenta desde o início, algo que encontramos em várias ICOs. Nesse sentido, existe uma bolha, mas por uma razão muito diferente da "bolha das ponto com".

De qualquer forma, do meu ponto de vista, o valor do Bitcoin é um tanto exagerado (lembre-se, este artigo foi escrito originalmente em alemão, bastante tempo antes de sua tradução para o português).

O Bitcoin se tornou popular, encontramos histórias de sucesso em todos os lugares e todos querem repeti-las. Mesmo rappers e artistas o recomendam, pessoas sem a menor ideia a respeito dele começaram a investir todas as suas economias.

É provável que isso aumente o preço por um tempo, mas, no longo prazo, sem dúvida levará a um déficit. Especialmente se levarmos em conta que a comunidade Bitcoin atual tende a vender assim que as coisas ficam feias. Além disso, não se esqueça que estamos enfrentando uma potencial manipulação de mercado com a Bitfinex (para o problema do Tether).

Em um artigo de 2017, previ anteriormente uma queda iminente de 80% no valor do Bitcoin em 3 meses. Mesmo que isso acontecesse, o Bitcoin ainda teria valorizado em relação ao início do ano.

O Bitcoin continua a ter um forte efeito de rede que por si só não será suficiente a longo prazo. Tecnologicamente, o Bitcoin é muito inferior em termos de velocidade, preço e escalabilidade, algo que os próximos hard forks não serão capazes de mudar.

A rastreabilidade do Bitcoin fará com que muitos investidores, que até agora optaram por não pagar impostos, caiam em perigo.

O problema que vemos com os hard forks é que eles fazem o Bitcoin inflar artificialmente.

Em vez de ter 21 milhões de Bitcoins, atualmente temos mais de 21 milhões na variante de Bitcoin Cash, Bitcoin Gold e companhia.

Pode-se contestar que se trata de criptomoedas diferentes, mas, ao contrário do que acontece nas divisões de ações, com um hard fork, o preço não é reduzido em 50%. O que acontece é que a nova moeda começa a existir em padrões semelhantes e o Bitcoin cai quase imperceptivelmente, apenas para retornar alguns dias depois com o mesmo status ou até acima do padrão que estava antes do hard fork.

É claro que, ao fazer um novo hard fork, os investidores geralmente compram mais Bitcoins para aproveitar os lucros adicionais. Isso pode ser muito arriscado a longo prazo.

Pessoalmente, tenho apenas 1 BTC para o caso de estar errado e o Bitcoin ultrapassar o limite de um milhão de dólares. No entanto, espero que em 3 anos o Bitcoin não esteja mais entre as 50 principais criptomoedas e seja substituído por alternativas melhores, mais rápidas, com menos taxas, com mais anonimidade ou outras funcionalidades.

Não há como negar que o cenário de criptomoedas terá mudado muito em 5 anos. Nem mesmo sabemos se o Bitcoin sobreviverá, especialmente se levarmos em consideração os numerosos hard forks.

Claro, não tenho dúvidas de que as criptomoedas vão acabar no topo. A questão é qual.

Bilhões de euros de contas anônimas em criptomoedas ou ativos bancários e industriais serão introduzidos nos próximos anos no mercado de criptos e levarão o preço a limites sem precedentes.

Sobre investir ou não investir em um projeto

Pessoalmente, tenho investido em muitas criptomoedas e tokens diferentes desde o início de tudo isso.

Sou um grande fã das tecnologias que evoluíram, deixando problemas da blockchain no passado. 

Na verdade, sou um membro ativo da equipe de um desses projetos, sobre o qual não posso fornecer nenhuma informação, pelo menos por enquanto.

Em geral, mantenho uma abordagem pragmática para investimentos em criptos.

Do ponto de vista ideológico, você pode ser contra projetos interessantes em relação aos benefícios que eles podem dar (como o Iota), e projetos que cooperam com bancos, estados etc.

Porém, do ponto de vista de investimento, considero-os uma boa opção. Por outro lado, também possuo participações substanciais em projetos mais ambiciosos, como na criptomoeda totalmente anônima Verge ou BitNation.

Para iniciantes que não têm nenhum conhecimento, mas ainda querem lucrar com o mercado de criptos, geralmente recomendo investir em alguns dos novos fundos de índice que cobrem igualmente as maiores criptomoedas, fundos como Iconomi ou Crypto20.

Fazendo isso, você pode obter grandes lucros com menor risco e fazer parte dos trilhões de dólares que devem fluir nos próximos anos nas criptomoedas mais fortes.

Um token ou dois do fundo podem ir à falência, mas você também pode aproveitar simultaneamente os valores que aumentam substancialmente.

Não quero entrar em detalhes sobre ICOs neste artigo. Em última análise, investir em uma oferta inicial de moeda (ICO) não difere muito de comprar o token em uma bolsa quando ele já existe.

Obviamente, durante os ICOs ou na pré-venda, adquiri-los vem com certos bônus que são usados ​​como um incentivo para comprar antecipadamente.

Mesmo que você goste muito do projeto e pareça muito promissor, eu normalmente não investiria em uma ICO.

O problema é que projetos promissores precisam de certo tempo de desenvolvimento durante o qual o valor do token cairá drasticamente, abaixo do valor alcançado durante a ICO.

Muitas vezes você pode ver que o preço após a entrada nas bolsas, pelo menos durante os primeiros dias, experimenta fortes aumentos; no entanto, a euforia geralmente desaparece rapidamente, com o token sendo esquecido por um tempo.

Por isso, não invisto mais em criptomoedas durante a ICO, por mais que goste delas, mas espero até que entrem nas principais bolsas quando considero que é o momento certo.

Uma distinção deve ser feita entre criptomoedas e cripto-ativos. Este último também pode ser enviado e recebido, mas tem como prioridade outros aspectos técnicos e seu objetivo não é se tornar uma moeda universalmente aceita, mas sim resolver outros problemas.

A situação é diferente com as criptomoedas clássicas, que pretendem se tornar um meio de pagamento. Eles se concentram em transações escaláveis, baratas, rápidas e, conforme o caso, anônimas.

E lembre-se: criptomoedas ou cripto-ativos só podem ser projetos descentralizados e de código aberto. Os projetos centralizados com código proprietário podem ser chamados de moeda digital, mas não de criptomoedas.

Tirando proveito dos benefícios do investimento em criptomoeda: negócios, contas bancárias, segurança jurídica

Finalmente, vamos tentar um tópico de interesse prático para a maioria dos proprietários de criptomoedas. Eventualmente, chegará um ponto em que você deseja trocar pelo menos uma parte de suas criptomoedas por moeda fiduciária.

Já falamos sobre como isso funciona na Espanha e Portugal. Geralmente, para trocar a criptomoeda por euros ou qualquer outra moeda tradicional, você terá que se identificar.

Quem não quiser seguir o caminho oficial terá cada vez mais dificuldades.

Em muitos países, o ónus da prova está do seu lado, o que significa que você deve ser capaz de provar, antes de possíveis inspeções fiscais, que a origem dos fundos é legal. Caso contrário, o governo pode confiscar seu dinheiro.

Isso, somado à desconfiança de governos e autoridades fiscais na maior parte do mundo, pode rapidamente deixá-lo sem dinheiro e até mesmo mandá-lo para a prisão, especialmente quando temos em mente que sempre falamos de grandes somas de dinheiro.

Se você tem grandes quantidades de criptomoedas e não quer ter todos esses problemas, talvez tenha chegado a hora de dizer adeus ao seu país de uma vez por todas.

Todos, mas particularmente os cripto-milionários, devem certificar-se de que encontrarão um esquema que permite o acesso totalmente legal e seguro aos lucros de seus investimentos em criptomoedas.

Em países com regras de CFC, isso pode ser problemático, mas não impossível.

Além da opção de mudança, você também pode transferir suas criptomoedas para uma empresa com sede no exterior, em um país livre de impostos e com uma atitude positiva em relação ao Bitcoin. Belize, Gibraltar, Hong Kong ou a Ilha de Man são boas opções para isso.

Ao fazer isso, você não terá que ser pago em criptomoedas com grandes dificuldades em provar sua origem, mas sim na forma de dividendos em moeda fiduciária.

Desta forma, suas criptomoedas permanecem anônimas, além de toda regulamentação e contabilidade, bem como livre de impostos na empresa offshore relevante.

Este tipo de organização é especialmente recomendado para pessoas que vivem como turistas permanentes, deslocando-se de um local para o outro, ou seja, pessoas que de outra forma teriam grandes problemas em provar a origem dos seus bens.

A residência fiscal desses turistas permanentes deve ser fixada em um país que não tenha restrições à administração e gestão de empresas offshore (ou seja, sem regras de CFC) e um país que não tribute dividendos ou apenas o faça marginalmente.

Os Emirados Árabes Unidos são uma boa escolha para isso, ou países com tributação territorial como Panamá, Paraguai, Tailândia, Geórgia ou Filipinas. O sistema especial do Chipre também é uma boa opção.

Em última análise, depende das preferências individuais de cada pessoa. Também existem países que cobram poucos impostos sobre os dividendos, como a Bulgária e a Romênia, com uma alíquota de apenas 5%.

É imprescindível que a sua empresa offshore tenha uma conta bancária adequada, que garanta uma troca direta, simples e descomplicada para a moeda fiduciária. Muitos bancos ainda têm problemas com criptomoedas e proíbem explicitamente transações com criptomoedas em seus termos e condições.

Para grandes quantias, as melhores opções são alguns bancos privados suíços que, como alguns outros, há algum tempo estão perfeitamente preparados para os novos cripto-bilionários.

Para quantias menores, os seguintes provedores de serviços financeiros declararam explicitamente que estão abertos a criptomoedas e que permitem a abertura de contas corporativas na Internet para a maioria das empresas offshore.

MisterTango: MisterTango oferece contas empresariais com IBAN da Lituânia para empresas europeias. Taxas baixas, transferências rápidas e sua própria troca de Bitcoin tornam este um provedor de serviços financeiros muito valioso.

I-Account: I-Account está sediada em Hong Kong, não está sujeita à troca de informações e permite a abertura rápida de contas para empresas em quase todas as jurisdições. Os depósitos e retiradas de dinheiro são feitos por meio de contas SWIFT em vários países asiáticos.

É previsível que, mais cedo ou mais tarde, os bancos regulares deixarão de ver as criptomoedas como um território sombrio, adequado apenas para criminosos. Embora também seja verdade que a maioria desses bancos acabará desaparecendo.

Em princípio, poderíamos dizer que o atraso de qualquer banco em adotar criptomoedas é um sinal claro de sua baixa capacidade de sobrevivência no longo prazo.

Na verdade, já existem vários projetos de criptobancos, como o Kraken Bank, e esses projetos serão lançados em breve.

Esperamos ter ajudado você com este artigo sobre criptomoedas, o artigo mais longo que publicamos até agora, e se sua opinião difere da do Christoph em termos de futuro da criptomoedas ou qualquer outro aspecto, sinta-se livre para entrar em contato conosco e compartilhar outras perspectivas no nosso grupo do Facebook.

Recentemente, também começamos a nos especializar em consultorias para o setor de criptomoedas, portanto, se você estiver procurando a melhor solução para o seu caso ou ainda tiver dúvidas após a leitura deste artigo, pode entrar em contato ou solicitar diretamente uma consultoria.

Naturalmente, aceitamos pagamentos em criptomoeda; na verdade, preferimos, pois estamos cansados ​​de lidar com bancos e gateways de pagamento. Você pode nos pagar com Bitcoin, Ethereum,  Monero, OHM, DAI e Nano.

Porque a sua vida te pertence!

Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe internacional de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização.