Como Sobreviver em um Mundo de Hiperinflação

Ícone de Relógio
12 min
Publicado em:
1/12/2022
Última Atualização em:
28/1/23
Article Background Image
Article Background Image
Article Background Image
Temas Abordados Neste Artigo
Este post é uma tradução inédita feita pela Settee do artigo “How to Survive in a World of Hyperinflation”, publicado no site do BowTiedBull. Ele foi escrito pelo BowTiedMara, que vive na Argentina há mais de 15 anos. Aproveite!

Hiperinflação: peculiaridade dos países subdesenvolvidos

Bem-vindo, Avatar! Como mencionado publicamente no Twitter, nós entramos em contato e encontramos uma pessoa que tem mais de 15 anos de vida na Argentina. Para aqueles que não sabem, a hiperinflação é um problema galopante no país onde os preços podem subir até 10% em um único mês.

Uma das coisas que tentamos evitar, é falar sobre coisas que *não* sabemos*. Esta é uma das coisas que nós não sabemos 100%. Qualquer pessoa nos EUA não tem nenhuma ideia de como é (sendo realista).

Portanto, este post de convidado é escrito por alguém que já viveu com isso e conhece todos os detalhes. Esperamos que você ache no mínimo interessante e na melhor das hipóteses encontre algumas estratégias úteis se nós entrarmos em uma inflação ainda pior no futuro.

Sobrevivendo (e prosperando) em um Padrão de Inflação na Argentina

Imagem cômica do filme Nueve Reinas
"Este país se va a la m****" - Ricardo Darín em Nueve Reinas (Nove Rainhas)
"Este país vai à me***", é uma frase que você vai ouvir muito na Argentina, não importa em que ano da história recente você se encontre, uma vez que parece sempre abordar a situação atual. Ela foi popularizada em Nueve Reinas (Nove Rainhas), um filme que foi rodado em 2000, bem no auge do último grande colapso da moeda argentina que terminou com outro default.

Neste artigo vou abordar a história econômica recente da Argentina em poucas palavras, mergulhar em como as pessoas lidam com um estado constante de inflação ultra-alta e porque viver de renda remota na Argentina é um bom negócio.

Alguns antecedentes: os bons velhos tempos

A Argentina era um dos países mais ricos do mundo no início dos anos 1900 (top 10 em termos de PIB per capita em 1900-1910). 

O país tinha uma economia de mercado aberta e na época para os emigrantes que deixavam a Europa era a próxima "terra prometida" logo após os EUA. Eu posso recomendar a leitura da história econômica da Argentina para qualquer pessoa interessada, é realmente uma história única.

Sem ir ao fundo da toca do coelho do que mudou ou de quem foi o culpado pelas coisas dando errado na Argentina, é seguro dizer que o populismo fez seu trabalho e os políticos começaram a financiar seus déficits com a impressora de dinheiro a partir da década de 30.

Ao longo de toda a sua história, a Argentina removeu 13 zeros de sua moeda nacional e inadimpliu sua dívida soberana 9 vezes (provavelmente um recorde mundial). A última grande queda em 2001 aconteceu depois de um período relativamente estável de 10 anos com inflação quase zero e o ARS sendo atrelado 1:1 ao dólar.

Em 2001 o vínculo quebrou e qualquer um com pesos tomou uma puxada de tapete e um corte de cabelo de 1:3 - ainda melhor que o vínculo do Do Kwon da stablecoin UST, mas ainda assim uma das principais razões pelas quais as pessoas na Argentina não confiam nos bancos e preferem economizar em dinheiro em dólares americanos.

Welcome to the Inflação, Jungle

A partir de 2002, a inflação tem sido constante, acelerando nos últimos anos. Por exemplo, com os dados de inflação do mês passado, a inflação da Argentina já acumulou 14.000% desde que quebrou o vínculo simbólico ao dólar americano.

 

Imagem gráfica do índice de inflação acumulada da argentina
Inflação acumulada na Argentina desde 2002 (taxa de inflação oficial) - Fonte

A taxa de inflação atual de 85%+ Year over Year é um jogo de sobrevivência, e especialmente para a classe baixa / média isso tem seu preço em termos de obliterar a economia e não conseguir sobreviver. A taxa de inflação oficial é menor em 65%+, mas é um golpe semelhante ao IPC americano (apenas medindo diferentes itens para adulterar os valores) - muitos itens já estão perto ou acima de 100% YoY, como café (117%), tomates (126%) e ovos (97%).

A inflação de três dígitos é quase garantida para este ano ou para o próximo.

Mantendo o poder de compra na Argentina

Se você acha que 8% de inflação nos EUA e Europa (provavelmente mais perto de 20-30%) é difícil, 85%-120% na Argentina é o modo Deus de dificuldade. Além de converter cada peso em dólares o mais rápido possível e estocar produtos não perecíveis, existem algumas opções adicionais por aí.

Aqui na Argentina com 85% de inflação YoY, nós temos seguido o conselho do @BowTiedBull há anos: estoque em não-perecíveis, sempre. 

Prestações: Deixar o problema pra depois é um modo de vida

Comprar agora e pagar depois é outra forma de as pessoas tentarem ganhar da inflação. A maioria das empresas oferece 0% de juros em 3 parcelas (subsidiadas pela impressora de dinheiro do Banco Central), o que é uma ótima opção para espalhar os pagamentos de peso desvalorizado ao longo do tempo, tornando-os mais baratos em moedas mais fortes com o passar do tempo.

Até alguns anos atrás, muitos produtos podiam ser comprados em 12 parcelas com 0% de juros. É insano como esses últimos pagamentos geralmente eram insignificantes quando medidos em dólares, quando você chegou ao mês 10-12. Se as pessoas suspeitarem de uma grande desvalorização, elas tendem a fazer grandes compras em parcelas, maximizando seus cartões de crédito.

Juros nível Ponzi de CeFi por $ARS

Uma maneira de atrair as pessoas para poupar em moeda local é o alto retorno em $ARS quando mantido por pelo menos 30 dias em um banco local: atualmente em 53% YoY.

Os pesos obtidos são depositados na mesma conta no final do período. Parece bom quando comparado com taxas de juros negativas, mas uma taxa para palhaços a +/-85% de inflação YoY - você ainda perde cerca de 30% do seu poder de compra.

Há também múltiplos exemplos de um período de 30 dias quando o peso caiu de repente 30% ou mais contra o dólar. Portanto, a regra geral para os argentinos é pensar e economizar em USD

O colchão recheado com dólares

Como é uma melhor reserva de valor do que a desvalorização perpétua de pesos, casas e itens de luxo como carros importados são todos cotados em dólares. 

Só para se ter uma ideia de como a Argentina está dolarizada: uma em cada cinco notas de dólar existentes fora dos Estados Unidos está localizada na Argentina, representando cerca de metade do PIB anual da Argentina e 5x as reservas locais do Banco Central.

Para evitar que os argentinos convertessem rapidamente todos os seus pesos no início de cada mês, o governo argentino colocou regras rigorosas na compra de moeda estrangeira, com um teto de 200 dólares americanos por mês (!) por pessoa. É mais do que você pode retirar da Celsius, mas ainda não muito se a sua moeda local estiver evaporando rapidamente.

A taxa de câmbio oficial USD/ARS no momento está em torno de $123 por dólar, mas assim como os números da inflação, esta taxa é artificialmente baixa. 

Ninguém em sã consciência lhe daria $1 dólar por $123 pesos no mundo real (a menos, é claro, que você seja forçado a fazer transações no sistema bancário antigo, que tem um limite de $200 como vimos acima).

A taxa do mercado real está mais próxima de $216 ARS por dólar (uma diferença de 68% com a taxa oficial), também chamada de dólar azul (dólar blue). Esta é a taxa que a maioria das pessoas usa para converter seus pesos em dólares ou para converter ocasionalmente de volta para $ARS sempre que precisam de dinheiro no dia a dia.

Muitos argentinos têm uma conta bancária nos EUA ou na União Europeia, mas como eles recebem dinheiro dentro ou fora do país com controles de capital super apertados e como eles podem converter mais do que apenas os $200 de sua renda em USD? É aqui que entram as cuevas, ou "cavernas".

Cuevas: optando por sair do sistema com o DoorCash

A única maneira de ter acesso ao dólar blue é através de cuevas: gerentes de dinheiro locais que não fazem nada o dia todo a não ser ganhar um spread doce + um adicional de 2-4% sobre o valor final convertido. Os locais retiram qualquer pedaço de pesos que eles podem economizar depois de viverem as despesas de sua conta bancária e trocam-no à taxa azul por notas de dólar.

Se as pessoas precisarem de dinheiro adicional transferido para a Argentina ou enviar suas economias para uma conta offshore, esses cuevas são o aplicativo Tinder do financiamento do mercado negro. Por exemplo:

  • se você quiser colocar dinheiro no país, eles combinam o pedido com alguém que precisa de dinheiro fora, você o envia de sua conta offshore para aquela conta de terceiros nos EUA, e o cueva lhe dá dinheiro, e vice versa.
  • É claro que esta correspondência simbólica é muito mais difícil do que apenas enviar stablecoins ou BTC diretamente para o cueva, porque os cuevas nem sempre conseguem encontrar uma contraparte no mesmo dia para a quantia que você precisa. 

Felizmente, desde 2018 muitos também aceitam stablecoins e Bitcoin, o que facilita exponencialmente a entrada e saída de dinheiro do país sem usar QUALQUER banco tradicional.

Outra grande característica desses cavaleiros do livre mercado é que uma vez que você os conhece pessoalmente, você pode simplesmente enviá-los uma mensagem de texto, enviar stablecoins ou BTC e um cara de entrega aparecerá na sua porta para te entregar um tijolo de pesos ou notas simbólicas americanas, o que quer que você tenha pedido (geralmente dentro de 1-2 horas).

Opções de renda para sobrevivência 

Se você ainda não faz parte dos 5% mais ricos, este tipo de inflação vai comer vivo o poder de compra da maioria das pessoas. Os locais geralmente se deparam com 3 opções para gerar renda / sobreviver:

1. Deixar o país - Esta é uma opção muito popular, se disponível. Muitos argentinos se qualificam para esta opção dado que muitos têm um segundo passaporte italiano, espanhol ou outro europeu (mais de 50% da população pode fazer uma reivindicação de ascendência em um país europeu ou já tem um segundo passaporte). 

Ainda assim, é um grande passo deixar tudo para trás.

2. Salário local/iniciar uma empresa local - Não vai dar certo a menos que sua empresa tenha fundos offshore ou que você esteja trabalhando para uma grande multinacional. 

Mesmo assim, o salário e faturamento local ainda não é grande, e a concorrência é feroz. Eu não incluo aqui os empregos de expatriados porque estes são normalmente reservados exclusivamente para estrangeiros.

Por sorte, nós vivemos em um mundo online onde você pode ficar onde está e ganhar em uma moeda um pouco melhor. Isto nos leva à opção

3. Fique na Argentina e estabeleça um fluxo de renda remota - Inicie uma empresa online, faça trabalhos freelance, qualquer coisa que pague em dólar ou Bitcoin. Esta última opção é cada vez mais a escolha para programadores e pessoas de marketing que falam inglês (alguns que só falam espanhol também trabalham para o México, Espanha ou Colômbia). 

Eu conheço muitos locais (e expatriados) que trabalham online, são pagos em Bitcoin ou através da Deel, e enviam o dinheiro para uma conta offshore. Sempre que eles precisam de dinheiro para despesas de moradia, você adivinhou: o DoorCash da Cueva.

Depois de ter tentado as 3 opções desde que me mudei para cá em 2005 da Europa, eu posso confirmar que ter um negócio online enquanto vive na Argentina é o vencedor absoluto.

Qualidade de vida com uma fonte de renda remota

Buenos Aires é uma grande cidade se você tem uma fonte de renda remota de cerca de 2-5k USD por mês, e a qualidade de vida nesse caso é muito alta. A saúde privada é ótima e acessível, e a comida e as viagens no país são ótimas. Basta olhar para o churrasco médio sem insetos e você vai entender meu ponto de vista:

 

 

Um tanque cheio por $30 e $900-$1,5k dólares para um apartamento mobiliado (veja alguns exemplos aqui) com vida noturna e bons restaurantes nas proximidades definitivamente é melhor que viver em um armário em uma cidade Tier 1 na Europa ou nos Estados Unidos.

Mudar-se para a Argentina por um tempo é fácil e há diferentes opções de vistos disponíveis:

  1. Visto de turista (o mais fácil, 90 dias, renovável por mais 90 dias)
  2. Visto de renda passiva (ganhe pelo menos USD 1.500/mês e encaminhe isto para uma conta local) que é renovado todo ano por 3 anos, depois disso é residência permanente
  3. Visto do Mercosul (não precisa provar renda) para cidadãos do Mercosul.

Notas do BTB: Este é, de longe, o post mais divertido que já pagamos. Vale cada satoshi. Se alguém está se sentindo mal com os problemas que está enfrentando agora, parece que mesmo que você ganhe $3K online, você pode viver uma vida boa na Argentina. Qualquer pessoa chateada com a queda dos preços dos ativos deve dar uma lida pelo menos 5-6 vezes. Divertido e educacional.

Custo de Vida na Argentina em 2023

É preciso se atentar não apenas aos impostos que você vai economizar, mas também ao custo de vida que você terá ao se mudar ao país, para ver se a mudança financeiramente vale a pena (ou se encaixa no orçamento)

O custo de vida na Argentina em 2023 de acordo com a Expatistan é o seguinte:

  • Custo mensal estimado para uma única pessoa: €924
  • Custo mensal estimado para uma família de quatro: €2.238
  • Custo de um aluguel para um apartamento de 85 m² mobiliado numa área média: €393
  • Custo de contas (aquecimento, eletricidade, gás...) para 2 pessoas em apartamento de 85 m²: €45
  • Custo de passagem mensal para transporte público: €16
  • Mensalidade de academia: €27
  • Menu do dia em restaurante incluindo bebida: €14

Claro, esses preços variam de acordo com a cidade. Em termos de custo de vida:

  • A cidade mais cara do país é Buenos Aires, seguida de Córdoba e Posadas
  • O custo de vida em Buenos Aires é 5% mais barato do que São Paulo
  • O custo de vida em Posadas é 5% mais barato do que o Rio de Janeiro
  • A Nomadlist recomenda um orçamento mínimo de €1,926 por mês para viver em Buenos Aires
  • Tandil e Concordia se posicionam como algumas das cidades mais baratas da Argentina
  • A Nomadlist recomenda um orçamento mínimo de €1,492 por mês para viver em Córdoba

Nota: O Expatistan e a NomadList são plataformas que agregam dados sobre custo de vida pelo mundo. As informações podem não ser 100% acuradas ou estarem desatualizadas. Leve esses números como uma orientação e não como um valor exato.

Se você quiser avaliar outras opções de emigração, empresas ou cidadanias, confira nossos países cobertos para morar no exterior, abrir offshores ou obter uma segunda cidadania.

Se você quiser saber como e para onde emigrar para viver uma vida mais livre, confira nossa Enciclopédia do Emigrante: 51 Países para Viver Livre de Impostos. E, claro, se quiser alavancar sua carreira e arranjar um emprego bem-pago no primeiro mundo, agende uma consultoria de carreira internacional conosco.

Biografia do BowTiedMara

Sobre meu foco na comunidade BowTied: Atualmente estou desenvolvendo uma plataforma para ativos de mobilidade (vistos de investimento/vistos de renda passivos, vistos nômades digitais e mais) para cada país do mundo (quando disponível) e estou planejando vincular estes a advogados de imigração locais em todos os lugares para que as pessoas possam se conectar e ver suas opções de mudança para outro país por um período mais longo do que apenas um visto de turista.

A tese do Sovereign Individual (países competindo para atrair capital e talento) já está em andamento e os fluxos de renda remota estão apenas acelerando isso. Meu objetivo é criar o centro de mobilidade para qualquer um que queira se mudar, sem ser o intermediário (apenas um gênero principal para advogados, etc.). 

Eu tenho trabalhado na indústria de ativos de mobilidade nos últimos 6 anos (Residência e Cidadania por Investimento) e quero oferecer uma opção direta para pessoas sem intermediários que tomam uma porcentagem - agentes tiram uma grande parte desses investimentos e muitos programas podem ser feitos diretamente com um advogado de imigração ou mesmo aplicando diretamente por conta própria.

Além disso, em muitos casos, se você quiser se mudar apenas por 1-2 anos, você não precisa nem mesmo fazer um investimento, já que pode ser praticamente de graça em uma grande variedade de países se você puder provar fontes de renda passivas/estáveis.

Equipe da Settee aqui novamente. Agradecemos imensamente ao BowTiedBull por autorizar a tradução deste artigo. Esperamos que você tenha desfrutado da leitura. Esse é um tema crítico e é importante se prevenir, já que tanto o Brasil como a Europa e os EUA estão com a inflação alta e fora de controle.

Um adendo aos nômades:

  • apesar de um país como a Argentina não ser exatamente tão atrativo para residência fiscal, ainda pode ser um destino sensacional para nômades.
  • Devido à alta inflação, é possível viver como um rei por muito pouco.

Se você quiser entender qual a melhor estratégia de internacionalização para o seu caso, agende uma consultoria conosco.

Porque a sua vida te pertence!

Curtiu este artigo? Compartilhe!
Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe global de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização. Agende já sua chamada introdutória.

Últimos artigos

Ver todos os artigos
Thumbnail do Artigo
26/1/2023

Como Solicitar um Reembolso do IVA

Neste artigo, te apresentamos como solicitar um reembolso do IVA com exemplos práticos, além de expor algumas exceções à regra sobre os processos e passos necessários a serem considerados a fim de recuperar seu IVA.

Ler mais
Thumbnail do Artigo
23/1/2023

Ilha da Madeira: Uma Cidade Livre Portuguesa?

Neste artigo apresentamos a Ilha da Madeira, artigo este, originalmente publicado pela Free Cities Foundation em inglês. O objetivo é discutir com mais detalhes a Ilha da Madeira. Além disso, apresentar o conceito de cidades livres aos leitores.‍

Ler mais