Viajar em Tempos de Pandemia – Para Onde Você Pode Ir Livremente

Ícone de Relógio
12 min
Publicado em:
28/3/2022
Última Atualização em:
7/10/22
Article Background Image
Article Background Image
Article Background Image
Temas Abordados Neste Artigo

Introdução

A pandemia da Covid virou o mundo de cabeça para baixo. No entanto, não haverá uma restrição mundial permanente de viagens.

Já durante todo o período, a entrada em vários países continuou a ser possível. Embora em número reduzido, milhares de aeronaves ainda podem ser encontradas atravessando os céus. Agora que o pior já passou e várias medidas foram vistas como inúteis, muitos países dependentes do turismo já estão reabrindo suas fronteiras.

Já vimos vários relatos assim: Você estava planejando começar sua emigração ou jornada como nômade e aí chegou a pandemia, então você ficou na dúvida se seguia em frente ou não.

No fim das contas, a escolha de ficar no Brasil, Portugal ou onde quer que esteja é sua. Apesar dos avisos de viagens internacionais, não há uma proibição de saída como houve na Austrália - é apenas uma questão de onde você pode entrar.

Isso não é tão fácil quanto era antigamente, especialmente se você não for vacinado, mas sempre há possibilidades. Isso também é algo cíclico, com a maioria dos países europeus restringindo a entrada no inverno e reabrindo as fronteiras no verão. 

Este artigo trata das opções de viagem que estiveram mais abertas e com menos restrições durante toda a pandemia. Uma avaliação das medidas de Covid e seus impactos sobre a teoria das bandeiras já foi feita em um artigo separado.

Os dados subjacentes vêm das seguintes fontes:

Como as restrições mudam a cada dia, confira se as informações ainda são atuais quando você for viajar. 

Vamos começar.

Países mais abertos durante a pandemia

Ao longo da pandemia de Corona, houve alguns países que nunca fecharam completamente suas fronteiras e em alguns casos não impuseram uma quarentena.

Certamente, nos últimos meses, uma pessoa teria muito mais flexibilidade se tivesse obtido várias autorizações de residência no mundo inteiro, como recomendado pela Settee. Afinal, os cidadãos e residentes ainda podiam entrar em seus países quando as fronteiras já estavam fechadas há muito tempo para estrangeiros.

Somente em alguns países isso foi impossibilitado em algum momento por uma proibição total dos voos. Entre os países mais abertos estavam aqueles que não faziam discriminação por nacionalidade. Por exemplo, sempre houve uma certa liberdade de viagem dentro da UE, mas somente para os cidadãos da UE. Falaremos disso depois.

México

O México nunca esteve fechado durante toda a pandemia e todo início de junho se prepara para a temporada turística anual. A partir de meados de junho, as praias da Riviera Maya, Baja California e todas as outras áreas deste diversificado país devem estar abertas aos turistas.

Durante muito tempo, a entrada no México foi possível sem nenhum exame médico. Somente a partir de abril de 2021 foram realizados controles médicos mais extensivos na chegada. Entretanto, não há suspeita geral e nunca houve uma quarentena obrigatória.

Há, no entanto, relatos isolados de viajantes que foram afastados nos últimos meses e que tiveram que pegar o voo de retorno após um curto período de tempo em custódia de deportação. Recomenda-se viajar tendo um voo de retorno e acomodação confirmada em formato impresso para evitar este problema.

Com 183 dias de permissão de estadia por entrada como turista, também não há necessidade de se preocupar muito com uma possível prorrogação do visto.

O lockdown no México varia muito de região para região.

Imagem do Templo maia de Kukulkán no México.
Templo maia de Kukulkán, México.

Em algumas regiões, onde o número de pessoas infectadas é pequeno ou zero, não há quase nenhuma restrição. Nos pontos quentes do país, por outro lado, há, às vezes, medidas muito fortes.

  • Em 2020, na Riviera Maya, as praias foram fechadas e foi introduzida uma proibição de venda de álcool após as 17 horas, mas só depois da Páscoa é que todos os restaurantes e bares também foram completamente fechados. Um pouco mais tarde veio uma exigência geral de máscara. Desde maio, houve até mesmo um toque de recolher depois das 19 horas.
  • Em Cancun e Playa del Carmen, as medidas duraram menos
  • Em lugares menos afetados como Tulum, as restrições foram ainda mais brandas.
  • Algumas cidades menores se barricaram desde abril - como Xcalak na fronteira com Belize ou a popular ilha de Holbox, assim como muitas pequenas comunidades do interior da Península de Yucatan.

As menores restrições no México são encontradas nos estados menores do centro do país. Estes incluem principalmente os estados de Colima e Nayarit no Oceano Pacífico, as áreas desérticas escassamente povoadas de Durango, Zacatecas e Queretaro, e o estado de Campeche, no oeste da Península de Yucatan. Mas mesmo aqui existem diferenças locais.

Costa Rica

A Costa Rica foi, junto com o México, um dos países que também ficou aberto durante toda a pandemia. Na verdade, viajar para a Costa Rica é quase como viajar em tempos pré-Covid - com exceção do preenchimento de um simples formulário de saúde. Fora isso, não é necessário nem ser vacinado, nem ter um teste para entrar no país. Também há nenhum requerimento de quarentena.

Imagem do Teatro Nacional Em San Jose na Costa Rica
Teatro Nacional Em San Jose, Costa Rica

O único requerimento é que, se você não for vacinado, precisará ter um seguro de saúde válido durante toda a sua estadia na Costa Rica que cubra $50.000 para despesas médicas, incluindo a infecção pela COVID-19, e $2.000 para despesas de hospedagem, no caso de quarentena ao testar positivo para COVID-19.

Brasil

O Brasil por muito tempo manteve suas fronteiras totalmente abertas também, com alguns pontuais fechamentos para chegadas diretas da Europa e de algumas outras regiões em crise.

No início da pandemia, nosso CSO Chris chegou no país no final de março de 2020 em um dos últimos voos transatlânticos via Dubai. Alguns dias depois, a Emirates suspendeu a conexão.

Imagem de Balneário Camboriú em Santa Catarina no Brasil
Balneário Camboriú em Santa Catarina, Brasil

No entanto, com um presidente contra restrições de Corona, a situação local é bem diferente, como no México, graças ao federalismo do país. As restrições vão e vem e variam por estado. Podemos dizer que, na média o estado de São Paulo foi um dos mais restritivos, enquanto outros como Santa Catarina estiveram mais abertos. 

Atualmente o Brasil está exigindo um comprovante de vacina para entrada, porém este não é necessário para: 

  • Aqueles com uma condição de saúde que contraindiquem a vacinação, desde que certificada por um relatório médico;
  • Aqueles que não possam se vacinar devido a questões humanitárias, de acordo com o art. 16;
  • Aqueles vindos de países com baixa cobertura vacinal, conforme divulgado pelo Ministério da Saúde em seu website; 
  • Brasileiros e estrangeiros residentes em território brasileiro.

Bielorrússia

As fronteiras da Bielorrússia também permanecem abertas aos estrangeiros.

  • Desde 2018, a entrada dos cidadãos da UE está isenta de visto por 30 dias. Isto pode ser prolongado por mais 30 dias no local.
  • Já brasileiros conseguem 90 dias sem visto.
  • Viajantes não vacinados precisam apresentar um teste de Covid, enquanto viajantes vacinados não precisam de teste.
Imagem do Castelo De Mirsky em Karelichy na Bielorrússia
Castelo De Mirsky em Karelichy, Bielorrússia

Belarus, que está sob o regime ditatorial há décadas, não impôs quase nenhuma restrição à vida pública. No entanto, como uma grande parte da população desconfia desta política em vista das notícias do resto do mundo, as ruas estão muito mais vazias do que o normal. No entanto, um desastre sanitário, como se esperava com esta política, não se concretizou até agora.

Reino Unido

Apesar dos severos lockdowns que o país teve, o Reino Unido percebeu que já era hora de as restrições acabarem.

  • Em fevereiro de 2022, Boris Johnson decretou o fim de todas as restrições de viagem a partir de 18 de março.
  • Não são necessários nem testes nem vacina para entrar no país.
  • As pessoas que testam positivo para COVID-19 não são mais obrigadas legalmente a se auto-isolarem, mas são aconselhadas a se auto-isolarem. 
Imagem da bandeira do Reino Unido
Bandeira do Reino Unido

Os negócios estão abertos e a maioria das restrições foi removida. As escolas foram autorizadas a reiniciar as aulas presenciais. As pessoas são encorajadas (mas não obrigadas) a usar máscaras em espaços públicos fechados, particularmente quando o distanciamento social não é possível.

As regras podem variar (e são geralmente mais rígidas) na Escócia, País de Gales ou Irlanda do Norte.  

Portugal

Aqui entraremos no primeiro país da UE da lista. 

Quanto à UE, é importante destacar o seguinte: Apesar das restrições variarem com o tempo e entre países, como regra geral, é possível viajar para um país da UE se você estiver vindo de outro país da UE/EEE ou do Reino Unido.

Dependendo do país, alguns outros países não pertencentes à UE/EEE também estão autorizados a entrar. Os requerimentos de vacina, testes e quarentena também variam.

Imagem de um bonde em Lisboa em Portugal
Lisboa, Portugal

Portanto, contanto que você consiga achar algum destino da UE que permita a sua entrada a partir do seu país de estadia atual, você conseguirá se deslocar para outros países do bloco com maior facilidade. 

Portugal não impôs uma proibição de entrada para pessoas vindas da UE ou uma quarentena geral durante toda a pandemia.

As exceções só se aplicam à ilha da Madeira e aos Açores. Entretanto, houve lockdowns mais ou menos severos em várias partes do país, mas em nenhum lugar tão extremo como na vizinha Espanha.

Tanzânia

Vamos para um destino menos convencional para nosso público, mas não menos idílico. A Tanzânia, país na costa leste da África, tem se tornado um dos países mais visitados do continente durante a pandemia, devido à sua segurança (a taxa de homicídio é menos de um quarto da do Brasil) e a sua maravilhosa natureza na ilha semiautônoma de Zanzibar.

Imagem da costa de Zanzibar na Tanzânia
Zanzibar, Tanzânia
  • Os passageiros devem preencher os Formulários de Vigilância Sanitária no avião, ou qualquer outro meio de transporte e apresentá-los às autoridades sanitárias portuárias na chegada.
  • Todos os viajantes que chegarem serão submetidos a uma triagem intensiva e, quando necessário, a testes rápidos de COVID.
  • Não é necessário ter nenhuma vacina para entrar no país, mas um teste negativo antes da entrada é obrigatório.

Romênia

Colocamos a Romênia aqui por ser um dos países mais abertos, mas sua presença nessa lista vem para representar o Leste Europeu no geral.

Os países do Leste Europeu no geral estiveram mais abertos durante toda a pandemia que os países da Europa Ocidental. Além da Romênia, a Hungria, a Ucrânia e os países dos Bálcãs – como Croácia, Sérvia, Bósnia, Montenegro e Albânia – tiveram menos restrições tanto de entrada quanto no dia a dia.

Falando da Romênia propriamente dita:

  • A única medida ativa é que todos os viajantes devem preencher o Formulário de Localização de Passageiros nas 72 horas que antecedem a chegada à Romênia.
  • Não são necessários testes, vacina ou quarentena.
Imagem do Castelo de Ravadinovo na Bulgária
Castelo de Ravadinovo na Bulgária, Romênia

A livre circulação interna em toda a Romênia é permitida, e todas as restrições no dia a dia foram removidas no dia 9 de março de 2022. Como a Romênia pertence à UE, isso torna o país uma ponte interessante a partir da qual viajar para outros países do bloco. 

Outros países

Em termos de restrições, poderíamos fazer um seguinte ranking, do melhor ao pior:

  1. Países sem requerimento algum 
  2. Países que requerem teste
  3. Países que requerem vacina
  4. Países que requerem teste e vacina
  5. Países que requerem teste, vacina e quarentena
  6. Países que simplesmente não te deixam entrar

Exploramos alguns exemplos de países nas categorias 1 e 2 acima. A maioria dos países do mundo na data de publicação desse artigo encontram-se entre 3 e 4. 

A maioria dos países da União Europeia encontra-se nas categorias 3 e 4. Porém, há uma certa sazonalidade:

  • Especialmente durante o inverno, as restrições ficam mais estritas.
  • Geralmente a partir de junho, início da temporada de verão as restrições se abrandam, pelo menos para aqueles vindos de outros países da UE. Então, especialmente os países do mediterrâneo se abrem novamente para os turistas da maioria dos outros países da UE que têm o vírus sob controle. 

Internacionalmente, além dos destinos nunca fechados como o México, também se nota uma abertura nos países caribenhos que dependem muito do turismo - Antígua e Barbuda, por exemplo.

O que os países dependentes do turismo têm de bom é que uma quarentena mais longa não simplesmente não cola. É preciso estar preparado para testes na chegada ou antes da partida, e é claro que se pode esperar uma experiência turística diferente do habitual. Mas este não é o assunto deste artigo.

Na Ásia, por outro lado, embora muitos países tenham lidado com a pandemia de forma relativamente profissional, as fronteiras estiveram comparativamente mais fechadas. Mesmo assim, países mais dependentes do turismo internacional, como Tailândia e Indonésia já abrandaram suas restrições. 

A liberdade habitual de viajar certamente não será restaurada globalmente tão cedo. Além disso, provavelmente não há como contornar a vacinação se você quiser viajar como de costume sem quarentena ou testes o tempo todo. 

Nossa previsão é que a vacinação continue como condição de entrada na maioria dos países por um tempo, mas que cada vez mais países sigam o exemplo do Reino Unido e vão gradualmente removendo suas restrições.

Para os não-vacinados, resta saber se os certificados de recuperação da Covid serão uma alternativa real - por enquanto, muitos países requerem que estes sejam de no máximo 6 meses antes da viagem.

Mas como chegar lá?

Uma grande pergunta que muitas pessoas se fazem é certamente como chegar no seu destino.

Ao contrário da crença popular, no entanto, mesmo no auge das restrições, os aviões não estavam todos em terra. Em 2020 quando a incerteza reinava, o espaço aéreo sobre a Europa, América e outros continentes ainda estava bem preenchido.

Embora muito menos do que o normal, as perdas totais devido à proibição de voos só foram vistas em outros países da América Latina ao sul do México e fora do Brasil.

Sem dúvida - voar desde o início da pandemia tem se tornado mais desagradável e certamente mais caro. Comer no avião se tornou menos atraente, e as máscaras obrigatórias não tornam a experiência de voo exatamente agradável. Mas aqueles que quiserem viajar internacionalmente ainda poderão fazê-lo. 

Atualmente, existem centros claros que têm fornecido conexões mundiais durante toda a pandemia e provavelmente continuarão a fazê-lo no futuro.

Certamente, muitas companhias aéreas estão em grave perigo de insolvência ou já estão em tais processos, mas é pouco provável que os maiores Flag Carriers de um país, em particular, sejam abandonados.

Os voos são normalmente limitados ao maior aeroporto de um país, e os voos domésticos são abandonados a favor de viajar de trem. Os hubs típicos com muitos vôos ainda são, por exemplo, atualmente:

  • Frankfurt
  • Amsterdã
  • Londres
  • Paris
  • Lisboa
  • Estocolmo
  • Miami
  • Atlanta
  • Chicago
  • Cidade do México
  • São Paulo
  • Cidade do Panamá

Você pode encontrar dados sobre o tráfego aéreo em sites como o Flightradar24.com.

Conclusão

E isso encerra o artigo de hoje. Se você quiser saber como o Covid impactou outros aspectos da teoria das bandeiras, como residências, empresas e cidadanias, recomendamos que leia o artigo linkado acima.

Se você quiser usar as informações que obteve hoje para finalmente começar a sua jornada como nômade, participe do nosso Desafio Nômade Digital em 28 Dias.

E, claro, se precisar da nossa ajuda para planejar a sua vida nova no exterior, agende uma consultoria conosco.

Porque a sua vida te pertence!

Curtiu este artigo? Compartilhe!
Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe global de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização. Agende já sua chamada introdutória.

Últimos artigos

Ver todos os artigos
Thumbnail do Artigo
1/12/2022

Como Sobreviver em um Mundo de Hiperinflação

Neste artigo, vamos abordar a história econômica recente da Argentina em poucas palavras, mergulhar em como as pessoas lidam com um estado constante de inflação ultra alta e porque viver de renda remota na Argentina é um bom negócio.

Ler mais
Thumbnail do Artigo
28/11/2022

Porque Dubai: Abertura de Empresa e Visto nos Emirados 

Neste artigo, te explicaremos detalhadamente porque Dubai está se tornando, cada vez mais, um destino muito atraente para empresários e nômades, desde abertura de empresas e vistos para imigrantes.

Ler mais