Como Vender Produtos na União Europeia com sua Empresa de Amazon FBA

Ícone de Relógio
21 min
Publicado em:
18/8/2022
Última Atualização em:
13/10/22
Article Background Image
Article Background Image
Article Background Image
Temas Abordados Neste Artigo

Introdução

Hoje na Settee temos um artigo sobre importações e exportações de produtos para empresa de FBA. Ele foi escrito por um convidado alemão, um especialista em alfândega: Tobías Lindner.

O artigo do nosso convidado vem na sequência de nossos artigos sobre o IVA europeu sobre bens digitais e bens físicos. Em um futuro não muito distante, publicaremos um artigo sobre FBA, desta vez falando em profundidade sobre o aspecto fiscal (se quiser se manter atualizado, recomendamos inscrever-se em nossa newsletter).

O que você precisará fazer com sua empresa de FBA para vender produtos dentro da UE legalmente

Nesse artigo, irei mostrar o que você precisa ter em mente quando se trata de importar, exportar e enviar produtos dentro e fora da União Europeia através do programa Amazon FBA.

A UE é uma associação de países independentes. Entre outras coisas, ela foi criada para tentar simplificar bastante o comércio de mercadorias dentro da área comum da UE.

Para tal, as restrições comerciais nacionais foram revogadas e substituídas por um único acordo (o Tratado da UE).

No entanto, se você vende fora da UE ou traz mercadorias de fora da UE, você terá uma situação diferente em suas mãos.

Os países costumam usar a alfândega para tornar os produtos nacionais mais atraentes e para protegê-los da concorrência estrangeira, ou seja, para promover as vendas de produtos nacionais. Assim, os itens comprados no exterior estão sujeitos a taxas alfandegárias para torná-los mais caros.

Portanto, se você comprar produtos de países de fora da UE para vender por meio da FBA dentro da UE, inevitavelmente eles terão que passar pela alfândega. A ideia do artigo de hoje é ajudá-lo a se preparar para isso e mostrar as possibilidades disponíveis para configurar seu negócio de forma legal e eficiente.

Cadastre sua empresa na alfândega com o número EORI (Registro e Identificação de Operadores Econômicos)

Por razões legais, não importa onde na UE sua empresa está. Não importa se for em países como:

  • Irlanda
  • Estônia
  • Chipre
  • Malta
  • Bulgária

O importante é que você estará operando dentro do território da UE de qualquer forma.

Para receber produtos adquiridos no exterior, você deve se registrar como operador econômico junto às autoridades locais competentes. Em geral, as autoridades aduaneiras são responsáveis por verificar se tudo está funcionando bem.

EORI significa número de ‘Registro e Identificação de Operadores Econômicos’. Com este número de registro, sua empresa poderá importar produtos para a, e enviá-las dentro da, UE, e até exportá-los da área comum para um país terceiro.

A propósito, lembre-se de que antes de fazer qualquer transação (compra ou venda) com parceiros comerciais que NÃO residam no mesmo país que você, você deverá verificar o número EORI. Isso é feito através do site da Comissão Europeia.

Bandeira da União Europeia

Somente se o número do seu parceiro comercial for válido, você poderá importar, exportar ou despachar mercadorias.

Da mesma forma, se você se registrou na FBA com uma empresa na Estônia, Bulgária ou qualquer outra, você precisará solicitar o seu número EORI junto à autoridade competente (que geralmente pode ser a Receita Federal ou a Autoridade Aduaneira).

Lembre-se de que o número EORI é exclusivo da empresa. Portanto, se você atua como autônomo ou com uma sociedade anônima na Espanha, por exemplo, você receberá um número EORI da Agência Tributária (Agência Tributária Espanhola), mediante solicitação.

Mas se por algum motivo você decidir mudar sua empresa para outro país europeu, como Bulgária ou Chipre, você precisará cancelar o registro do seu número EORI na Espanha e solicitá-lo no novo país. Você não poderia manter seu número antigo e usá-lo para os negócios na Estônia.

Fornecedores estrangeiros – o que você precisa saber antes de comprar no exterior e como fazê-lo corretamente

Graças à globalização, comprar mercadorias de qualquer lugar do mundo não é mais um problema. As grandes empresas de logística agora estão tão bem organizadas que você pode obter seus produtos de praticamente qualquer região.

No entanto, há algumas coisas a se considerar antes de importar produtos para a UE, para que você possa vendê-los sem problemas.

A UE, como grupo de países, nada mais é do que o resultado de um espaço econômico comum. Nos casos em que empresas de diferentes áreas econômicas negociam entre si, elas terão que seguir algumas etapas.

A primeira coisa que você deve se perguntar é se existem restrições comerciais unilaterais ou bilaterais entre os países e, em caso afirmativo, o que essas restrições significam para o seu negócio.

Isso pode parecer complicado no início, mas na verdade é muito simples.

São as chamadas sanções, que muitas vezes são impostas unilateralmente a países estrangeiros. Por exemplo, se você deseja comprar produtos da Coreia do Norte, Iraque ou Congo, você, inevitavelmente, as encontrará.

Você pode encontrar uma lista de países e áreas econômicas sobre os quais a UE impôs sanções (incluindo os EUA e a China) aqui.

Esta lista também inclui o tipo de restrição imposta.

  • Por exemplo, a Coreia do Norte foi restringida de quase todo o comércio
  • Já a China só tem uma sanção de armas

O oposto das sanções seriam os acordos de livre comércio. Existem muitos desses acordos e eles podem tornar mais fácil trazer produtos desses países.

Além de prestar atenção às sanções e acordos de livre comércio, você também precisará ter em mente a segurança dos produtos. Dependendo do caso, você precisará de certificações específicas para importação dos bens que vai vender na UE.

Na UE, existem regras específicas para muitos produtos. Elas são projetadas para garantir a segurança das pessoas, por exemplo, no que diz respeito à toxicidade de certas substâncias.

Quanto mais complicada a estrutura de um produto, maior a probabilidade de você ser solicitado a fornecer uma prova de que é seguro usá-lo. Isso nos leva ao cerne da questão: Segurança!

Você precisa ser capaz de provar que o produto que pretende importar para a UE cumpre as suas normas e que, portanto, pode ser distribuído com total segurança. Os produtos que passam no teste são "marcados com CE".

Novamente, parece mais complicado do que realmente é. Você pode ler sobre os tipos de produtos que precisam da marcação CE.

Em princípio, os produtos que não estão nesta lista não precisam da marcação CE. No entanto, dependendo do caso, pode ser uma boa ideia obter um Certificado de Conformidade com base em um teste de produto. Você pode encontrar mais informações sobre a marcação CE no site da União Europeia.

Lembre-se de que, se alguém solicitar indenização por um acidente causado por ou com seu produto, você será considerado responsável e poderá ser solicitado a pagar uma indenização ou ser processado. Você não poderá repassar o processo ao seu fornecedor; você será responsável em primeira instância.

Geralmente, e especialmente se você acha que pode entrar em uma situação complicada, é aconselhável:

  1. Fazer um seguro de responsabilidade civil e, claro
  2. Usar uma empresa que limite sua responsabilidade em vez de trabalhar como autônomo

Desta forma, você estará protegendo sua empresa e seus bens pessoais em caso de ações judiciais por mau funcionamento ou risco de seu produto.

O valor que você deve pagar depende do risco potencial dos produtos, bem como do volume de vendas e do país em que sua empresa está inserida.

A maioria dos produtos que você provavelmente gostaria de vender na Amazon ou em qualquer loja de rua passaria no teste sem problemas e podem ser importados sem grandes restrições.

No entanto, é extremamente importante conhecer os regulamentos e, principalmente, suas consequências, uma vez que, volto a repetir, como distribuidor dos produtos você tem toda a responsabilidade.

Tenho o produto que vou vender e o comprei. Agora, como eu deveria declará-lo para pagar o mínimo possível e para obter sua livre circulação na UE

Todas as mercadorias importadas de países terceiros estão sujeitas à Fiscalização Aduaneira no momento da importação, ou seja, seus produtos sempre terão que passar pelo Controle Aduaneiro. Isso é exigido por lei.

Convém fazer uma leitura sobre o assunto, seja diretamente ou por meio da contratação de serviços de terceiros, como declarante ou transportadora. No caso de uma transportadora, é muito provável que você acabe pagando mais do que o necessário e será uma má jogada. Ter um declarante confiável pode valer ouro ou dinheiro.

O preço que você terá que pagar na alfândega para a importação de produtos depende de como eles são classificados. Dependendo de sua função e dos materiais usados, você pode tentar incluí-los em uma categoria ou outra, para usar a Nomenclatura Combinada.

Quando o seu produto chega pelo correio e o fiscal da alfândega analisa a remessa, ele tentará atribuí-la a uma categoria específica. Em caso de dúvida, o funcionário irá perguntar-lhe sobre o título tarifário sob o qual pretende declarar os produtos e você, sem dúvida, irá querer apresentar uma proposta bem sucedida.

Geralmente, você tem permissão para sugerir uma categoria, mas eles sempre verificarão se sua proposta é válida. Se um título tarifário válido não puder ser encontrado, eles geralmente não permitem que você declare as mercadorias e você terá que deixá-las na fronteira.

Porém, essa classificação é a primeira coisa com que você precisa se preocupar para não atrasar os trâmites alfandegários e ter o produto classificado de forma que fique mais cara do que você esperava.

Na Nomenclatura Combinada, os menores números dos capítulos contêm os produtos menos processados. Isso inclui, por exemplo, animais e recursos naturais.

Quanto maior o número do capítulo, maior o grau de processamento dos produtos. Os últimos capítulos incluem produtos de alta tecnologia.

Agora você pode classificar seus produtos com base na designação usada na Pauta Aduaneira. Isso é chamado de classificação tarifária. É muito fácil fazer online.

Lembre-se que os fornecedores não podem ser responsabilizados pelo título tarifário. Se o seu parceiro comercial disser para você inserir o número XX com uma tarifa de 3%, mas a alfândega determinar que você deve declará-lo com um número diferente de 20%, você não poderá passá-lo legalmente; é você quem assume a responsabilidade como declarante aduaneiro.

Resumindo, vale a pena escolher o título apropriado ou encontrar alguém que possa escolhê-lo para você.

Como garantir que seus pressupostos estão corretos e obter uma base legal segura para a classificação do seu produto

No final das contas, o controle aduaneiro decide se a classificação tarifária proposta é realmente a correta.

Logicamente, os importadores tendem a escolher a tarifa mais baixa com base em seus interesses econômicos, mas isso às vezes pode ser problemático.

Se você pretende ser um importador a longo prazo, pode esperar que demore dois ou três anos no máximo para passar por um controle alfandegário.

Nessas verificações, eles inspecionarão suas últimas importações e pedirão provas de que tudo foi feito corretamente.

É um processo relativamente simples, embora o funcionário da alfândega preste atenção especial ao índice tarifário escolhido.

Se você quiser evitar surpresas desagradáveis durante esta inspeção, você pode solicitar Informações de Tarifa Vinculativa para seus produtos.

E agora você deve estar se perguntando, o que é isso?

  • O trabalho dos funcionários aduaneiros consiste em classificar os seus produtos na tarifa aduaneira, a saber, verificar se você os classificou corretamente e emitir um documento que comprove isso
  • Este documento é juridicamente vinculativo e serve para lhe dar garantia no caso de inspeções ou qualquer outro problema

Se atribuiu a seu produto a um capítulo específico da tarifa alfandegária, você deverá enviar este código (título da tarifa) com uma amostra do produto e o pedido correspondente a um serviço aduaneiro.

Infelizmente, esse processo demora um pouco, até 6 meses, mas ao fazer isso você receberá informações juridicamente vinculativas que são válidas por vários anos a partir da data de emissão.

Geralmente, aqueles de nós que vendem por FBA oferecemos uma pequena quantidade de produtos. Isso significa que vendemos produtos do mesmo tipo, mas, por exemplo, em cores diferentes. Em geral, alguém que vende com FBA não lida com centenas de itens diferentes.

Isso, é claro, é uma grande vantagem porque você pode facilmente "proteger" o produto com informações tarifárias vinculativas. A cor do produto é totalmente irrelevante aqui.

Há outra vantagem além da proteção legal: o desalfandegamento é grátis! As autoridades alfandegárias não cobram para verificar e liberar sua classificação.

A única coisa pela qual você será cobrado é a amostra do produto que deverá enviar junto com a solicitação.

Ao fazer este pedido, você dará autorização às autoridades aduaneiras para examinarem a amostra, o que pode significar, entre outras coisas, a sua destruição e a sua impossibilidade de a vender. Em princípio, este será o único custo se você mesmo fizer a solicitação.

O que acontece durante os procedimentos alfandegários e quais são os custos?

Geralmente, quando você começa sua empresa de FBA, você não terá tamanho suficiente ou necessidade de ter seu próprio departamento alfandegário. É, portanto, aconselhável aproveitar a experiência dos fornecedores.

Ao calcular os impostos aduaneiros, o preço de compra dos produtos é sempre especificado. Nesse caso, os preços referem-se àqueles do fornecedor, que é quem os escreve na fatura. Na estância aduaneira é determinado o chamado valor aduaneiro. Isso inclui todos os custos que surgiram no caminho para a fronteira europeia. Dependendo da parte do mundo de onde os produtos vêm, você terá diferentes estações de fronteira.

Ao iniciar sua empresa de FBA, você provavelmente fará sua primeira remessa de avião, de modo que o primeiro contato com a UE será o aeroporto em que seus produtos chegarem. Quando os produtos são enviados em contêineres, o porto de destino na UE (como Rotterdam ou Hamburgo) será um ponto de passagem de fronteira para o território da UE.

Por que isso importa? Em todos os casos, você vai incorrer em custos de transporte para os produtos.

Às vezes, a entrega na casa do cliente ou no depósito está incluída na compra do produto. Portanto, se os custos de transporte do pacote forem de US$200, o transporte do seu fornecedor chinês para o depósito da Amazon geralmente estará coberto.

 No entanto, para o valor aduaneiro, apenas a viagem até à fronteira da UE conta. Como resultado, o custo total do frete pode ser reduzido da fronteira da UE para o armazém da Amazon, uma vez que esta rota é dentro da UE. Após os procedimentos aduaneiros dentro do território da UE, os produtos podem circular livremente e sem restrições comerciais.

Os custos de produtos enviados em contêineres para um porto da UE são relativamente fáceis de avaliar.

  • Todos os custos de transporte são relevantes para o valor aduaneiro
  • Isso significa que o porto e a tarifa de manuseio na China, bem como em Rotterdam ou Hamburgo, estão incluídos no valor aduaneiro
  • O transporte do produto para o armazém em caminhão pode ser deduzido se o fornecedor já tiver sido pago

O frete aéreo é um pouco mais difícil de avaliar, já que um avião do Extremo Oriente vai cruzar a fronteira em algum lugar no extremo leste da UE.

  • Uma vez que ninguém pode, nem quer, influenciar a rota do avião, existem taxas globais para tornar isso mais fácil
  • Você só precisa saber o país de onde os produtos serão enviados para a UE
  • Se você for para a Ásia, verá que ela está dividida em diferentes zonas

Isso tem a ver apenas com as distâncias, que podem variar significativamente do Oriente Médio à Mongólia.

Por exemplo, você pode encontrar a China na zona L com um valor de 70. Isso representa a porcentagem dos custos de transporte a ser incluída no cálculo do valor aduaneiro.

Vamos colocar tudo o que vimos em prática e dizer que você quer vender uma mochila na Amazon.

  1. Você pode encontrar um fornecedor na China por meio das conhecidas plataformas de fornecimento para negociar com ele.
  2. Você encomenda 500 mochilas a US$4 cada, por um valor total de US$2.000.
  3. Para facilitar o processo, você também escolhe o transporte para o depósito da Amazon por meio de seu fornecedor.
  4. Ele cobrará US$1000 pela entrega e enviará os produtos de avião. Este preço inclui os custos de manuseio no aeroporto na China e no país da UE em que sua empresa está.
  5. Ao calcular o valor aduaneiro, a soma de US$2.000 será, naturalmente, convertida em euros.
  6. Conforme indicado na tabela acima, devem ser somados 70% dos custos de frete, o que corresponderia a 70% de US$1000.
  7. O valor aduaneiro a ser declarado para os produtos é, portanto, US$2.000 + 700 convertidos em euros.

Como receber seus produtos na alfândega com rapidez e sem esforço

Existem grandes prestadores de serviços de encomendas, como DHL, FedEx, UPS ou o prestador de serviços EMS, que oferecem o serviço de declaração de produtos. Se você deseja acelerar o processo, pode escolher esta opção. Os prestadores de serviços de encomendas têm seus próprios departamentos alfandegários dedicados exclusivamente a esta tarefa.

Avião da empresa americana de transporte FedEx

Então, por que você deveria se preocupar em aprender sobre tudo isso e declarar você mesmo seus produtos?

Você precisa ter cuidado. Se você contratar um prestador de serviços para lidar com o processo alfandegário, ele geralmente será autorizado a pagar taxas alfandegárias e IVA sobre as importações com a conta deles.

Para isso, o prestador de serviços desconta o que é denominado como tarifa de abastecimento alfandegário. Normalmente, é cerca de 10€ a 30€ por procedimento alfandegário.

Como eu disse antes, você deve se registrar na alfândega com antecedência e ter um número EORI. Você também deve ser capaz de classificar seus produtos usando a descrição dos produtos na tarifa alfandegária e ter um código pronto para fazer isso.

Também não é preciso dizer que sua conta deve ter fundos adequados para taxas alfandegárias e IVA sobre as importações.

No exemplo da mochila, as taxas de importação foram as seguintes:

  • Valor alfandegário US$2.700 / taxa de câmbio EUR/USD a 1.1 = 2.454,54€
  • Depois, há a classificação de impostos aduaneiros de 12% na tarifa = 294,54€
  • Base tributária para o IVA sobre as importações (EUSt na Alemanha) = US$2.454,54 + 295,54 + 300 de frete = US$3.021,81
  • Após 19% de IVA na importação = 574,14€
  • O total de impostos aduaneiros sobe para 294,54€ na alfândega e 574,14€ no EUSt (imposto de importação alemão) = 868,68€

Se o seu fornecedor oferece descontos, eles também são válidos para a alfândega. É sempre o preço real pago pelos itens e não seu valor.

É uma boa ideia configurar uma conta do cliente com antecedência junto ao provedor de serviços de encomendas. Geralmente isso é bastante simples, além de ser rápido e gratuito.

Antes de seu fornecedor despachar os produtos da China, você deve inserir seu número EORI, o número do cliente do provedor de serviços de encomendas e sua conta bancária comercial no campo de endereço. Isso significa que a transportadora terá todas as informações de que precisa para passar pela alfândega.

Também é uma boa ideia indicar o título da tarifa aqui ou, por exemplo, no campo do destinatário da fatura ou no envelope. Assim, você estará ajudando o pessoal da alfândega se quiserem ver os itens.

Sua transportadora provavelmente entrará em contato com você para obter esse número assim que o produto chegar, portanto, você economizará tempo se fornecê-lo com antecedência.

Obviamente, esta não é a única forma de fazer isso: Geralmente, o pacote é armazenado na alfândega após a sua chegada e a sua transportadora entrará em contato com você para o informar sobre a utilização posterior dos produtos. Você pode então enviar as informações relevantes e confiar a eles os procedimentos aduaneiros.

Na maioria das vezes, você terá que pagar uma taxa de contribuição de capital e, claro, todos os impostos, bem como uma possível taxa de processamento que provavelmente incluirá o custo de armazenamento temporário. Esta é outra opção, mas vai custar mais caro.

Você já pagou as taxas. E agora?

Agora que os produtos passaram pela alfândega e você fez os pagamentos, você pode fazer com seus produtos o que quiser. Isso é oficialmente chamado de "liberação para livre circulação (do proprietário)".

O que isso significa, em última análise, é simplesmente que você conseguiu importar bens para a UE e agora pode vendê-los. A fiscalização aduaneira completa-se com a entrega dos produtos, após a qual você poderá repassá-los.

Conforme combinado, a sua transportadora irá recolher os produtos na alfândega e entregá-los ao seu destino. Lá eles serão processados, coletados e preparados para venda. Agora você pode vendê-los assim que tiver a aprovação de seu fornecedor, como a Amazon.

Você deve manter a notificação fiscal ou alfandegária em local seguro. Se você terceirizou sua contabilidade, envie o documento ao seu contador assim que puder.

Guardar a notificação servirá, em primeiro lugar, para deduzir o custo e, em segundo lugar, como prova numa eventual fiscalização fiscal ou aduaneira.

Mas a alfândega poderia inspecionar você?

Vejamos: como sua empresa é FBA, as autoridades alfandegárias supostamente não prestarão tanta atenção em você.

Ao decidir quem inspecionar, a alfândega também é guiada pela quantidade de dinheiro (e produto) que está sendo movimentada, e os controles tendem a se concentrar em empresas que importam produtos às centenas de milhares, senão milhões, de euros, porque é provavelmente onde encontrarão o peixe grande e os casos relevantes para o direito aduaneiro.

Dito isso, você também pode se deparar com uma inspeção alfandegária. Se você involuntariamente deturpou uma remessa de importação e chamou a atenção da alfândega, o melhor é cuidar disso o mais rápido possível e esclarecer a situação.

No início deste artigo, disse que, se possível, você deve obter o máximo de segurança jurídica possível para seus produtos.

Seria fantástico se você pagasse uma porcentagem baixa na alfândega e o fornecedor passasse o título tarifário pela alfândega, mas é preciso ter cuidado.

Recomendo fortemente que você confirme este número com informações tarifárias vinculativas (BTI) e, assim, obtenha segurança jurídica no seu negócio.

Com um documento BTI válido para seus itens e uma notificação fiscal ou alfandegária, de acordo com a qual você pagou taxas alfandegárias com o título tarifário confirmado, você pode aguardar a inspeção alfandegária com tranquilidade.

Como você pode economizar dinheiro durante os procedimentos alfandegários?

Nessa situação, o envio da primeira amostra é fundamental. Quando você tem uma empresa de FBA, você geralmente encomenda essas amostras de fornecedores.

Pedidos frequentes a fabricantes chineses por supostos distribuidores e o fato de que muitas pessoas exploram as boas condições levaram a preços inflacionados às vezes sendo exigidos para as amostras. Desta forma, os comerciantes chineses evitam aqueles usufrutuários que só querem produtos baratos.

Mas muitos fornecedores enfatizam que cobrarão pelo custo dos produtos de amostra ao fazer um pedido. Mas não são apenas os fornecedores que compensam os custos. Se você declarar esta remessa como uma entrega de amostra, normalmente ela será isenta de impostos. É essencial aqui que os itens nunca sejam vendidos aos clientes finais.

Outra forma de economizar dinheiro é usando serviços de consolidação. Ao procurar um fornecedor de produto, você verá que há uma grande variedade.

Para avaliar fornecedores individualmente, você pode solicitar uma amostra individual de cada um. Se você os enviar para um serviço de consolidação na China, você agrupará o envio de várias amostras e será cobrado um único custo de envio da China para a UE.

  • Tanto o provedor de serviços de transporte quanto a alfândega irão tratá-lo como uma remessa.
  • Com este procedimento, você evitará ter que pagar uma taxa de frete várias vezes por todo o material que colocou na caixa.
  • Além disso, você só terá que pagar os custos de manuseio na UE uma vez ao seu fornecedor.

Todos os que estão iniciando suas empresas de FBA ficarão ansiosos para poder importar, armazenar e vender produtos completos e bem acabados. Esta é definitivamente a maneira que muitas pessoas deveriam fazer, porque é a maneira mais fácil de começar um negócio.

Se você está indo bem e aumenta a quantidade de importação, pode valer a pena dar uma olhada no produto. Tendo em conta o seu título tarifário e a composição correspondente do produto, pode verificar se é possível poupar algum dinheiro em impostos aduaneiros e IVA proporcional nas importações.

É mais barato usar tecido natural ou plástico? Algum metal em particular é mais barato do que outros nos procedimentos alfandegários? Vale a pena enviar certos componentes? Você pode organizar a montagem na Irlanda, Estônia, Polônia ou em qualquer lugar da UE através de uma empresa e pode, no final, acabar saindo mais barato.

Mas, você não deve se preocupar com essas coisas até que tenha um negócio funcionando e queira começar a se concentrar nos detalhes. Nesse sentido, você deve sempre considerar toda a cadeia de processamento. Não fará nenhum bem para o seu fornecedor usar outros materiais, pois irá diminuir a qualidade.

Você também não ganhará nada com o envio de componentes mais baratos, pois o envio adicional para um fornecedor e montagem na UE vai acabar custando mais do que você economiza. Você precisará de itens de alta qualidade ou muitos deles para que isso funcione de forma lucrativa.

Minha conclusão e recomendação sobre o que você deve fazer com sua empresa de FBA

Quando se trata de abrir uma empresa de FBA, a questão da alfândega costuma ser esquecida. É uma pena porque com uma boa preparação e cooperação com as autoridades, você pode garantir o seu negócio e até reduzir custos, melhorando sua margem.

Se, no entanto, você não pagar o que deveria na alfândega (por exemplo, porque a fatura apresenta um valor inferior ao real), isso representará um grande risco para o seu negócio. Se é deliberado ou não, não importa. Não quero ser cínico, mas as consequências seriam semelhantes a falsificar uma declaração de imposto de renda.

No controle aduaneiro você pode ser obrigado a pagar impostos de importação dos três anos anteriores, o que pode significar o fim para alguns.

Tenha em mente que as empresas de FBA são muitas vezes criadas com recursos limitados como uma empresa individual, ou mesmo como autônomo (neste caso, eu recomendo fortemente que você sempre trabalhe por meio de uma sociedade), e que se você administrar sua empresa de FBA como autônomo, sem limitar a sua responsabilidade, você pode ser responsabilizado como pessoa física.

Recomendo que em seu negócio você sempre opte pela integridade e segurança jurídica. No curto prazo, você pode lucrar mais fazendo declarações falsas, mas no longo prazo você está colocando a si mesmo e a sua empresa em risco.

Obtenha um número EORI e aplique a tarifa apropriada aos seus itens, solicitando informações sobre tarifas vinculativas.

Desta forma, você pode levar uma vida muito mais despreocupada e ter um negócio mais sólido, pois terá minimizado ou eliminado riscos.

Claro, também é uma boa ideia pensar sobre como economizar dinheiro legalmente na alfândega. No entanto, como regra geral, o tempo que você levará para fazer um plano e colocá-lo em ação só valerá a pena se você primeiro tiver conseguido tornar seu negócio próspero e seguro a longo prazo.

Se você quiser receber mais conteúdo sobre negócios e investimentos internacionais, não se esqueça de se inscrever no nosso newsletter e conferir os artigos no nosso blog

Porque a sua vida te pertence!

Curtiu este artigo? Compartilhe!
Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe global de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização. Agende já sua chamada introdutória.

Últimos artigos

Ver todos os artigos
Thumbnail do Artigo
1/12/2022

Como Sobreviver em um Mundo de Hiperinflação

Neste artigo, vamos abordar a história econômica recente da Argentina em poucas palavras, mergulhar em como as pessoas lidam com um estado constante de inflação ultra alta e porque viver de renda remota na Argentina é um bom negócio.

Ler mais
Thumbnail do Artigo
28/11/2022

Porque Dubai: Abertura de Empresa e Visto nos Emirados 

Neste artigo, te explicaremos detalhadamente porque Dubai está se tornando, cada vez mais, um destino muito atraente para empresários e nômades, desde abertura de empresas e vistos para imigrantes.

Ler mais