Como proteger sua liberdade de expressão quando você pensa diferente da maioria

Ícone de Relógio
19 min
Publicado em:
18/3/2022
Última Atualização em:
30/4/22
BUscar no Blog
Article Background Image
Article Background Image
Article Background Image
Temas Abordados Neste Artigo

Introdução

Vivemos em tempos turbulentos. Em muitos países do mundo, foram impostas restrições à liberdade nunca antes vistas, não apenas na vida física, mas estão se estendendo cada vez mais ao virtual. Pensar diferente exige um alto grau de coragem nestes tempos. Defender a própria opinião publicamente tornou-se um motivo para ter sua carreira cancelada ou ser enviado a um hospital psiquiátrico (e não estou brincando, este tem sido o caso na Alemanha).

Pessoalmente, em certa medida, pode-se ficar feliz por ter emigrado. Mas mesmo isso não nos protege dos invejosos e dos chamados haters, como nós na Settee já experimentamos em várias ocasiões.

Felizmente, a tecnologia moderna também nos oferece a possibilidade de nos protegermos. Felizmente, a criatividade empresarial, a competência tecnológica e a Teoria das Bandeiras nos fornecem soluções para salvaguardar nossa parcela de liberdade. Uma oportunidade de não ser uma ilha solitária varrida pela corrente que varre tudo diante dela: casos em que as contas bancárias são canceladas e os websites são bloqueados, tirando as pessoas que pensam e vivem de maneira diferente de seu modo de vida.

Infelizmente, cada vez mais pessoas estão vivenciando estas situações. Eles são frequentemente ridicularizados e estigmatizados por aqueles que ainda acreditam que vivem no melhor mundo (ocidental) de todos os tempos. Assim, eles marcham com firmeza e obediência inquestionável em direção a uma ditadura de opinião. Sem dúvida eles ficarão surpresos quando perceberem que estão se jogando de um penhasco, mas então será tarde demais.

Seja como for, não queremos ficar nos queixando neste artigo, mas sim oferecer soluções.

Desde o início, a Settee tem sido o site de referência para pessoas de língua portuguesa que não só querem falar de liberdade, mas também vivê-la. Que adaptam seu estilo de vida ao caráter dos tempos graças a uma arbitragem inteligente do marco legal com a ajuda da teoria das bandeiras. Que mesmo em tempos de 70% de carga tributária, eles não desistem e sabem como se defender do contínuo roubo de sua produtividade. E que não se deixam curvar a medidas cada vez mais totalitárias.

Este artigo pretende ser um pequeno guia para aqueles que ainda não desistiram. Que continuam a acreditar na liberdade pessoal, especialmente na liberdade de expressão, independentemente de sua opinião estar ou não correta. Que não se deixam arrastar à passividade pelo politicamente correto, pela histeria em massa e pela intimidação oficial. Que sabem que a lógica e a razão estão do seu lado, mesmo que ainda haja um longo caminho a percorrer antes que alguém concorde com eles.

Para isso, aqueles que possuem websites terão que prestar atenção especial especialmente a três bandeiras da Teoria das Bandeiras. Se as aplicarem bem, ninguém será capaz de prejudicá-los. Estamos falando de encontrar

  • a forma jurídica adequada para operar um website (de forma anônima)
  • uma infra-estrutura de servidor e domínio que não pode ser bloqueada facilmente
  • uma maneira de continuar a receber dinheiro de patrocinadores ou clientes

A tudo isso, pode-se acrescentar mais uma bandeira, a de residência. O ideal, é claro, é viver em países onde não podemos ser "procurados" facilmente e, no melhor dos casos, até mesmo ser um viajante perpétuo. Pelo menos é o que se recomenda se ainda ousa aparecer pessoalmente em seu blog.

Tenha em mente que o que é ruim para os outros não tem que ser ruim para você. Na ditadura militar da Tailândia, na monárquica Dubai ou na autoritária Rússia, você pode viver confortavelmente mesmo que seja crítico de um regime. Mas deve ser de um regime estrangeiro que não tem nada a ver com o governo local.

Neste artigo focaremos nas três primeiras e não abordaremos a questão da bandeira de residência (se você estiver interessado nisso, pode dar uma olhada no blog ou na nossa newsletter).

Formas jurídicas adequadas para gerir um website (de forma anônima)

Até alguns anos atrás ainda era fácil registrar e utilizar uma empresa de fachada anônima, sem obrigações fiscais ou contábeis. Infelizmente isto tem se tornado cada vez mais difícil em vista das numerosas regulamentações globais impostas nos últimos anos. Entretanto, ainda existem formas legais atraentes que podem ser implementadas de forma rápida e barata. Para os operadores de websites de língua Portuguesa, recomenda-se uma Limited by Guarantee na Inglaterra ou uma Limited Liability Company (LLC) nos Estados Unidos (especialmente no Novo México ou, melhor ainda, uma combinação de ambas as formas legais).

Tanto nos EUA como no Reino Unido a Settee pode incorporar empresas diretamente para você. Seu Privacy Shield é geralmente estabelecido dentro de um dia útil. Nenhum dos países exige verificações de KYC dos clientes para registrar a empresa.

A Limited by Guarantee é uma mistura de uma sociedade limitada e uma fundação. Em contraste com a típica Limited by Shares, a Ltd. by Guarantee não tem parceiros, mas um fiador (Garantidor). Pode, portanto, ser chamada de "sociedade limitada-fundação", pois é uma forma mista entre uma fundação e uma empresa. No sistema jurídico britânico de direito comum não existem fundações familiares no sentido estrito da palavra. Portanto, não é possível falar de uma fundação real, o que também se reflete em seu uso. Na Grã-Bretanha, são principalmente as organizações sem fins lucrativos que são constituídas como Ltd. by Guarantee. Na esfera jurídica de língua portuguesa, o Limited by Guarantee é mais parecido com uma associação. Assim como as associações (ou fundações), a Limited by Guarantee pertence a si mesma.

No entanto, em comparação com as associações, esta forma jurídica tem vantagens consideráveis. A incorporação é muito mais rápida (geralmente menos de 1 dia em vez de 6 semanas), não requer mais membros do que o próprio fundador (em vez de 3-7 membros) e é muito mais barata. Se esta empresa não for utilizada para a operação do negócio, mas meramente como uma holding do domínio ou de empresas, na Grã-Bretanha você só tem que apresentar as chamadas Dormant Accounts, que é quase uma declaração de impostos nula. Podemos fazer isso por você de forma muito barata.

Não há dúvida de que as associações também podem ser uma boa opção, mas a tradição jurídica da Common Law, nascida do costume, tem tido historicamente um maior respeito pela liberdade de opinião, especialmente se ela for expressa em uma língua estrangeira. E, no máximo, depois de Brexit, podemos ter certeza de que não teremos que temer o super-Estado europeu.

Toda Limited by Guarantee precisa de um fiduciário. Infelizmente, no Reino Unido, as empresas que atuam como diretores foram proibidas. É obrigatório o registro de uma pessoa física. Mas é claro que podem ser fiduciários que ficam no registro em seu lugar. Você manterá todos os poderes e uma declaração de renúncia que, em caso de dúvida, só terá que assinar você mesmo também. Isto pode ser arranjado por algumas centenas de euros.

A propósito, na Limited by Guarantee não é obrigatório acrescentar a forma jurídica. Isto significa que também podemos utilizá-la para simular legalmente outras formas legais ou pessoas físicas, simplesmente chamando a empresa de "Pedro Silva" ou "Empresa S.L.". Em combinação com um escritório virtual na Espanha ou na Argentina, por exemplo, teremos a mistura perfeita para passar despercebidos. Há algumas possibilidades criativas de uso aqui, por exemplo, usando a Limited by Guarantee como diretora de uma LLC americana, e também podemos dar-lhe a aparência de uma pessoa física dando-lhe um nome adequado (um José Luís dos Santos, por exemplo).

A Limited by Guarantee também é muito popular para falsos autônomos ou devedores. Como a empresa não lhe pertence, você pode usá-la para receber salários apesar de estar pessoalmente falido. Ou mesmo para faturar um único cliente sem ser facilmente considerado falsamente autônomo.

As LLCs americanas já foram explicadas em detalhes em artigos anteriores. Elas certamente também podem oferecer uma boa proteção neste contexto. Suas condições são ideais porque não há troca de informações sobre contas da empresa, a liberdade de expressão é garantida pela Primeira Emenda e o nome do proprietário da empresa não precisa ser obrigatoriamente inscrito no registro.

Entretanto, para que a LLC possa usar contas corporativas, um gerente real que possa abri-las deve estar inscrito no Registro. Embora após a abertura das contas o registro possa ser excluído com uma emenda, este documento de emenda é colocado no Registro e permanece lá. Embora este documento não possa ser pesquisado e não seja indexado pelos mecanismos de busca, ele mostra claramente o pedido de emenda do gerente. Assim, o anonimato total não pode ser alcançado no Registro dos EUA se quisermos ter uma conta corporativa lá.

Naturalmente, a LLC pode ser utilizada com possibilidades de pagamento descentralizadas, o que explicaremos em detalhes mais adiante neste artigo. Para este fim, é aconselhável incorporar a empresa diretamente no Novo México, por exemplo. O Novo México é o único estado americano em que as LLCs não têm que apresentar um relatório anual a longo prazo.

O relatório anual não tem nada a ver com contabilidade, mas serve para corroborar informações essenciais sobre a empresa, tais como os nomes dos gerentes, dos membros e do escritório registrado. Mas é inevitável que em algum momento os nomes apareçam no Registro se nenhum fiduciário tiver sido nomeado.

Em Wyoming, por exemplo, os gerentes só podem ser ocultos durante os dois primeiros anos. Na Flórida, um gerente deve aparecer no Registro o mais tardar após um ano. Somente no Novo México não é necessário registrar alguém na incorporação e, como não há a obrigação de apresentar um relatório anual, é possível permanecer assim a longo prazo. Com isso se pode verificar a existência da empresa, mas não de seus gerentes ou proprietários. É claro que eles devem ser listados internamente, mas não são listados publicamente em nenhum lugar.

Naturalmente, existe uma reserva quase inesgotável de outras jurisdições e formas jurídicas que poderiam ser úteis para o propósito aqui discutido. Quanto mais proteção for desejada, mais ampla e complexa a estrutura terá que ser. Com formas legais como trustes, fundações familiares, cooperativas, partnerships, Limited by Guarantee, empresas offshore e muitas outras, é possível cobrir uma série de níveis e criar conexões transversais.

Naturalmente, não devemos perder de vista os custos. Apesar de todas as vantagens que o mundo offshore pode oferecer, uma estrutura bem pensada com apenas uma forma legal pode ser bastante suficiente.

Aqui também devemos mencionar a LLC da Ilha de Nevis, que também podemos registrar em seu nome diretamente. Nevis, uma pequena ilha no Caribe, juntamente com sua ilha irmã St. Kitts, famosa pela possibilidade de adquirir um segundo passaporte lá, constitui uma das jurisdições offshore mais importantes do mundo.

O provedor de domínio de privacidade Njal.la, que apresentaremos abaixo, também se estabeleceu lá. A razão para isso são as leis extremamente sofisticadas sobre proteção de ativos e proteção judicial. Para entrar com uma ação judicial, você tem que depositar cerca de 100.000 dólares de Nevis (cerca de 37.000 dólares) em dinheiro no tribunal local. Naturalmente, também não existe um registro comercial público.

Há também outras jurisdições que tiveram boas ideias. As Seychelles ganharam alguns pontos conosco com uma Protected Cell Company, que existe de forma similar em alguns estados dos EUA como uma Series LLC. Trata-se de uma empresa única, que, no entanto, possui uma estrutura celular para a propriedade de ativos. Cada célula poderia ser, por exemplo, para um domínio ou um servidor. Cada uma dessas células teria que ser processada para revelar os ativos que contém, algo tão complexo e caro que, na maioria dos casos, o autor do processo se cansaria rapidamente dele.

A melhor infra-estrutura de servidor e domínio para evitar bloqueios e interrupções

Para se proteger em termos de servidor e domínio, você precisa de uma combinação dos provedores certos e dos países certos. Em geral, são os países nórdicos que possuem as melhores leis de proteção de dados, juntamente com os mais altos padrões de liberdade de expressão. A Suécia e a Islândia são particularmente proeminentes aqui. A propósito, são também alguns dos poucos países que conseguiram controlar a situação do coronavírus sem exercer o poder totalitário do Estado.

O servidor e provedor de domínios sueco Njal.la opera seus serviços através de uma LLC na ilha de Nevis (ver acima) e tem alguns centros de dados na Suécia. Njal.la não é um serviço de registro de domínio, mas um intermediário, uma espécie de trustee que detém seu domínio em seu nome. No entanto, você é proprietário dos direitos sobre esse domínio e pode transferi-los para si mesmo a qualquer momento. A Njal.la construiu uma excelente reputação ao longo dos anos.

Naturalmente, não é tão barato quanto os pacotes típicos de hospedagem web de provedores normais. Por outro lado, 15 euros por mês para o servidor "básico" não é demais para pedir a melhor privacidade. Os domínios começam com o mesmo valor por ano. Naturalmente, na Njal.la é possível pagar os custos do servidor e do domínio com diferentes criptomoedas. Além do Bitcoin, existem outras moedas criptográficas praticamente anônimas como Dash, Monero ou ZCash. Entretanto, a Njal.la não é necessariamente fácil para iniciantes.

Se você está procurando por segurança para o seu domínio, esta é especialmente encontrada em pequenos estados insulares em diferentes partes do mundo. Portanto, não é surpreendente que os domínios .to de Tango, .tv de Tuvalu ou .vu de Vanuatu sejam populares entre aqueles que oferecem streaming de conteúdo ou compartilhamento de arquivos. Mas também .io (Território Britânico do Oceano Índico) ou .is (Islândia) estão ganhando cada vez mais terreno.

Em princípio, também se poderia optar por países maiores, desde que se apresentem pontos de vista simpáticos (ou não contrários) ao respectivo regime. Os críticos da Rússia estarão seguros com um domínio americano, assim como os críticos dos EUA serão bem-vindos com um domínio russo.

Nja.la optou por um domínio Laos, mas provavelmente principalmente pelo trocadilho. Entretanto, deve-se notar que para SEO e clientes ou leitores, escolher domínios "estranhos" pode ser um problema, e é muito raro que um domínio seja excluído, mesmo que seja um domínio típico como .com, .net, .info, .org ou mesmo um local (.ar, .es, .mx, .cl, etc.). Muito mais cuidado deve ser tomado com a localização do servidor (serviço de hospedagem).

Os whistleblowers (reveladores de segredos) ao redor do mundo muitas vezes optam por servidores na Islândia, e por uma boa razão. Até mesmo a Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) tem dificuldade de acesso aos servidores islandeses.

Um dos fornecedores mais antigos do país é o OrangeWebsite.com, que também oferece preços bastante acessíveis para aqueles que estão apenas começando. Há pacotes básicos a partir de 3,40€ por mês que também podem ser pagos com bitcoin. Além disso, estaríamos fazendo algo de bom para o meio ambiente: todos os servidores são geridos com energia renovável (geotérmica).

Assim como a Njal.la, a OrangeWebsite requer apenas um endereço de e-mail para se registrar. Dados adicionais não são necessários. Mesmo no caso improvável de o host ser obrigado por ordem judicial a tornar público o proprietário do domínio ou servidor, só haverá um endereço de e-mail não identificável (desde que você tenha feito sua tarefa de casa sobre sua privacidade) se ele tiver sido pago com criptomoedas. Naturalmente, isto só funciona se também não for possível identificar outras pistas que apontem para o proprietário. Entretanto, se seu endereço e nome estiverem visíveis, você pode ser responsabilizado diretamente.

Para realmente se proteger, você tem que cavar um pouco mais fundo. Dependendo do número de visitantes e de suas expectativas, recomendamos um Virtual Private Server a partir de 30€ ou seu próprio servidor a partir de 249€ por mês. Combinado com um pacote DDos-Protection por 99€ por mês, seu website não pode mais ser bloqueado tão facilmente.

DDos significa Distributed Denial of Service Attack e é uma tentativa de sobrecarregar seu website com tráfego de dados maliciosos. Muitos provedores de hospedagem web padrão não estão preparados para isto, por isso, eles tiram seu site do ar porque, de outra forma, ele quebraria todo o sistema de rede deles. Se você quiser ficar com seu provedor de hospedagem atual, é recomendável que, pelo menos adicionalmente, contrate a Cloudflare. Isso pode ser feito por 10-20€ por mês e garante não apenas uma melhoria visível no desempenho, mas também proteção DDoS suficiente para websites normais.

Naturalmente, o desempenho é algo que não podemos perder de vista. A Islândia, por exemplo, desfruta de uma localização estratégica entre a América do Norte e o norte da Europa, de modo que pode oferecer boas velocidades em ambas regiões do mundo.

O próprio blog da Staatenlos (Settee em alemão) não está atualmente hospedado na Islândia, mas sim na Holanda, que também tem um alto grau de liberdade de expressão e boas leis de proteção de dados. A Staatenlos utiliza a empresa americana Siteground.com como fornecedor, uma vez que não optamos pelo anonimato. O que procuramos é um suporte ao cliente de primeira classe, caso tenhamos problemas com os websites que utilizamos. Além disso, os preços são bons, considerando o excelente equipamento que oferecem. Se você não estiver procurando privacidade absoluta, podemos recomendar a Siteground após cinco anos de uso de seus serviços.

Vale também considerar a proteção dos seus dados para emails. As grandes big techs são famosas por desativar contas de pessoas canceladas ou politicamente impopulares de seus serviços. no que tange emails. A Suíça, como país neutro, é um bom lugar para se proteger disso. A Lei Federal de Proteção de Dados da Suíça visa um dos mais altos padrões de proteção de dados do mundo. Para obter seus dados, os peticionários devem apresentar um pedido formal. Não é por acaso que um dos provedores de e-mail mais seguros, a Protonmail, é uma criação suíça.

Opções para continuar recebendo dinheiro de patrocinadores/clientes

Se já temos um website anônimo com uma estrutura corporativa anônima e proteção ideal dos ativos, ainda surge a questão do processamento de pagamentos.

Como podemos continuar a receber dinheiro de nossos leitores, patrocinadores ou clientes? Afinal, muitos bancos são conhecidos por fechar rapidamente suas contas quando a política e a burocracia os mandam.

Em princípio, uma primeira maneira de se proteger é aplicar a teoria das bandeiras e ter suas contas bancárias em um país diferente daquele em que você ou seu público vive.

Embora seja certamente prático para os clientes brasileiros poderem fazer transferências para uma conta brasileira, também é perigoso por causa da possibilidade de apreensão. Portugueses não devem ter ilusões de seus países vizinhos possam ajudar também. A regulação da UE sobre a retenção de contas foi assinada por todos os países, exceto Inglaterra e Dinamarca, e a EU FATCA permite o acesso sem exceção a informações sobre todas as contas na área da UE.

Os bancos offshore, como o EuroPacific-Bank, podem ser uma solução para determinados fins, mas com taxas de transferência na faixa de dois dígitos, eles não são interessantes para muitas fontes de renda típicas.

Sempre que possível, é uma boa opção utilizar bancos online, como a Wise Borderless ou Payoneer, mas somente se ou enquanto isso for possível. Também Mercury ou Relayfi podem ser boas opções em combinação com um LLC.

Temos que considerar a questão das contas em combinação com as estruturas jurídicas mencionadas acima. Embora empresas totalmente anônimas sejam possíveis, dificilmente há em qualquer lugar do mundo onde seja possível abrir contas corporativas para elas. Aqui vale a pena procurar alternativas aos bancos.

Naturalmente, muitas pessoas pensarão em criptomoedas, o que, em princípio, é aconselhável. Mas é claro que isto depende em grande parte do grupo alvo que estamos abordando.

Nós da Settee oferecemos desde o início a possibilidade de pagar em bitcoins ou outras criptomoedas alternativas pelo serviço de consultoria, incorporações de empresas e produtos de todos os tipos. Apesar do fato de muitos leitores da Settee estarem familiarizados e simpatizarem com as criptomoedas, nosso público também está bem acima da média em aceitação de criptos se comparado à população geral.

Este não é o momento nem o lugar para explicar como funcionam as criptomoedas. Bitcoin, a criptomoeda mais popular, tem algumas fraquezas em termos de anonimato. Alternativas como Monero, Dash, ou zCash são mais avançadas a este respeito.

Estamos atualmente especulando em corretoras com ARRR (Piratechain), que também reúne características ótimas de privacidade, mas é claro que ainda é completamente desconhecida. Existem também outras moedas criptográficas que promovem seu anonimato, mas apresentam um alto risco de fraude.

Além disso, deve-se ficar longe dos chamados "bitcoins mixers", mesmo quando eles realmente pagam as moedas "lavadas". A pesquisa forense sobre blockchains está bem avançada pelos governos e eles já são capazes de desvendar facilmente este tipo de métodos de ocultação.

Se você pagar seu servidor com bitcoin, você terá que fazê-lo a partir de uma nova carteira da qual você não possa ser rastreado, e certamente não de uma carteira onde seus dados pessoais possam ser verificados.

Felizmente, existem empresários engenhosos que apreciam as vantagens do Bitcoin, mas não estão satisfeitos com o baixo nível de aceitação que ainda existe. Falamos um pouco sobre provedores de pagamentos em criptomoedas e carteiras virtuais aqui e aqui.

Se você quiser converter suas bitcoins diretamente, recomendamos a corretora da Kraken.com. Com esta corretora, você pode manter com segurança moedas fiduciárias, e a qualquer momento e quando precisar delas, você pode transferí-las para as contas pessoais de sua escolha. Pelo menos se eles não tiverem nenhum problema com receber pagamentos de corretoras de criptomoedas.

É claro que, num processo de cash out como este, o anonimato é parcialmente perdido novamente se não se quiser fazer negócios OTC. OTC significa over the counter, ou seja, praticamente negócios privados com outra parte, que geralmente são realizados em dinheiro.

Nos estágios iniciais do Bitcoin, a LocalBitcoins era conhecida principalmente por tais transações, mas entretanto foi proibida em alguns países. Uma alternativa seria encontrar uma comunidade de compradores e vendedores de criptomoedas confiáveis e ter o dinheiro transferido e depois enviar as bitcoins. Pessoalmente, este é o caminho que preferimos seguir.

De fato, é possível dirigir um negócio exclusivamente com base em criptos. Os cartões de débito de bitcoins também existem e já são oferecidos por muitos fornecedores. Os mais conhecidos são Wirexapp.com na Europa, que também abre contas IBAN privadas e comerciais em muitas jurisdições. No Brasil, a Alter é bem popular. Mas é obviamente melhor ir com fornecedores onde você tem controle total sobre as chaves privadas das critpos, ou seja, onde você não tem "Counterparty Risk", ou seja, o risco de um hack do fornecedor, apreensão, expropriação ou similar. Para isto existe o Plutus ou Monolith.

Nós recomendamos fortemente a Monolith, mesmo que exija residência na UE/EEE para usar o cartão Visa. Como uma fotocópia de seu passaporte geralmente é suficiente para verificação, como cidadão da UE você não terá problemas, desde que peça para que o cartão seja enviado para um endereço postal da UE. Se necessário, a maioria dos serviços de criptomoedas aceita extratos bancários como prova de endereço, e é provável que mesmo que você não more na UE, esses extratos ainda mostrarão um antigo endereço da UE se você já tiver morado lá.

A Monolith se integra com carteiras de criptomoedas descentralizadas e suporta stablecoins como DAI em seu cartão Visa. Uma das grandes críticas ao bitcoin é a alta volatilidade que ele ainda apresenta. A stablecoins deste tipo combina as vantagens da descentralização do bitcoin com a relativa estabilidade do valor do dólar americano.

Se você quer liquidez, as stablecoins como o DAI são a solução perfeita. Elas não são nada voláteis e nenhum estado do mundo pode apreendê-los ou expropriá-los. A expropriação pode muito bem acontecer nos próximos meses em contas normais em muitos países em todo o mundo.

Usando Monolith, mesmo DAI, ETH ou outras moedas possíveis não estão nas mãos do fornecedor, mas permanecem sob seu controle, pois somente você tem acesso à chave privada.

Mesmo se pensarmos que o boom especulativo tenha passado, o ecossistema de criptomoedas vem se desenvolvendo bastante há algum tempo. E neste momento, com a perspectiva de uma depressão econômica nunca antes vista e governos cada vez mais autoritários, é o momento ideal para mergulhar mais profundamente no mundo das criptomoedas e tirar proveito de seus benefícios.

Faturar os clientes sem problemas, pagar nossas próprias contas com criptos, manter a liquidez em stablecoins como DAI (ou especular sobre o provável aumento dos preços do bitcoin) e gastar com cartões pré-pagos. Ou até mesmo combinar fiat no meio. Tudo depende do que você preferir.

Conclusão

Desta forma, você pode administrar seus negócios completamente livre da influência do estado, viver agradavelmente e, mesmo que sua opinião seja crítica a grupos de poder ou estados, você não tem que temer ser arruinado. Mesmo que muitas coisas lhe pareçam estranhas ou soem novas, com um pouco de esforço, em poucas horas você pode adquirir os conhecimentos básicos para começar a aplicar o que você aprendeu aqui.

Como sempre, caso precise de ajuda para internacionalizar sua vida e ir para um lugar onde você terá liberdade de expressão, pode contratar nosso serviço de consultoria. E se você quer começar ou está começando sua jornada de nômade digital, participe do nosso Desafio Nômade Digital em 28 Dias.

Você sabe, porque a sua vida te pertence!

Logo da Settee

Settee

Consultoria de Internacionalização

A Settee é uma equipe internacional de empresários, nômades digitais e consultores especializados em estratégias de internacionalização.

Article headline